A origem das camisolas amarela e rosa das grandes voltas

Camisolas, maillots , jerseys , maglias ou camisetas têm de ser amarelas. A camisola amarela tornou-se um símbolo de liderança, sobretudo no ciclismo, mas nem sempre foi assim. E nem sempre é assim.

No início, cada um vestia a camisola que lhe apetecia. Parecia um desfile de moda. Por vezes, ainda parece, mas agora cada equipa tem cores próprias e cada líder tem a sua camisola.

Há mais de cem anos, Eugène Christophe liderava o Tour e levava uma fita vermelha no braço. Mas os jornalistas lamentavam-se que não se percebia à distância e os organizadores da prova pediram para que ele mudasse para uma que se distinguisse melhor. Insistiram, mas o ciclista não queria mudar de camisola.

Depois de muita pressão e de várias etapas ganhas, um belo dia, após a cerimónia do pódio, Christophe entra na primeira loja que vê e, pouco depois, sai com aquela que se tornou a mais icónica das camisolas. Era amarela, a primeira do Tour, a primeira de sempre de um líder.

Provavelmente, Christophe percebeu depois porque é que a ideia não lhe agradava: começaram a chamar-lhe canário. Pior, Christophe era muitas vezes considerado o melhor, mas nunca venceu o Tour. Era muito supersticioso e acabou conhecido como um dos mais azarados de sempre.

Mito ou verdade? Perguntem a Christophe. E imprima-se o mito. Porque o jornal francês L'Auto imprimia em folhas amarelas e patrocinava a volta. Nos idos de 40 do século passado, transformou-se no L'équipe.

A seguir, foi fácil. Todos copiaram a maior prova de ciclismo do mundo. E a amarela espalhou-se pelas voltas nacionais e outras provas velocipédicas.

Bem, nem todos...

Em Itália, levaram tudo à letra e, como quem paga manda, o patrocínio é da Gazetta dello Sport e, assim, a camisola tornou-se rosa. Exato: o jornal é impresso em folhas cor-de-rosa.

Em Espanha, talvez para serem diferentes, foi variando. Começou por ser laranja, depois branca. Foi amarela durante muitos anos mas, no virar do século, passou a dourada. Nos últimos dez anos tem sido roja porque o vermelho é habitualmente selecionado pelos espanhóis.

Só mais uma maglia. O líder da montanha em França veste uma malha branca com bolinhas vermelhas, graças ao patrocínio dos chocolates Poulain. E o maillot fez tanto sucesso que o patrocinador começou a embalar os chocolates com aquelas cores.

Com exceção da França, um pouco por todo o lado, é a camisola azul que define os melhores trepadores, os líderes da montanha. Já as camisolas de cor verde vão para os sprinters dos pontos. E a branca para a juventude. Estas duas vestem os líderes na maior parte das provas.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de