Amorim admite que Sporting é mais forte com os jogadores que estão castigados

O treinador do Sporting garante que "a equipa está sempre forte em termos de espírito" e apontou o caminho após a pesada derrota frente ao Manchester City, na Liga dos Campeões, competição onde o Sporting já só pensa em "voltar".

O treinador do Sporting admitiu este sábado que a equipa é mais forte com os jogadores que estão castigados, mas frisou que tem quantidade e qualidade suficientes para vencer o Estoril Praia, no domingo, na I Liga de futebol.

Em conferência de imprensa, em Alcochete, Rúben Amorim garantiu ainda que "a equipa está sempre forte em termos de espírito" e apontou o caminho após a pesada derrota (5-0) frente ao Manchester City, na Liga dos Campeões, competição onde o Sporting já só pensa em "voltar".

"Obviamente somos mais fortes quando podemos contar com todos os jogadores, mas isso é quando existe castigos e também lesões. A equipa está sempre forte no seu espírito, podemos vencer qualquer jogo mesmo com as nossas baixas, mas a equipa seria mais forte se tivéssemos todos disponíveis", assumiu o técnico dos 'leões'.

Para a receção aos 'canarinhos', que não perdem há três encontros, o treinador do Sporting não poderá contar com Coates, Palhinha, Tabata e Ricardo Esgaio, todos castigados pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol após a ação disciplinar do clássico da última jornada, frente ao FC Porto.

Depois, Amorim insistiu ainda que o Sporting tem "jogadores suficientes e com qualidade para fazer frente ao Estoril", uma equipa que "sempre defendeu muito bem", que é "forte na transição" e que "vai ser muito difícil", mas lembrou também que os 'verdes e brancos' têm "a obrigação, a necessidade e o objetivo de vencer".

"O que queremos fazer é aquilo que já fizemos nas outras vezes, que é sair da Liga dos Campeões e perceber que o campeonato é muito importante para nós, é a nossa prioridade. Ainda não saímos oficialmente da Liga dos Campeões, mas já pensamos em voltar lá, portanto passa muito por ganhar os nossos jogos", comentou.

Nesse sentido, apesar de afirmar que "enquanto for matematicamente possível" o Sporting irá lutar pelo título e que tem de "acreditar sempre", Rúben Amorim não deixou de destacar também a importância de garantir o segundo lugar, que vale o apuramento direto para a 'Champions'.

O empate do Benfica (2-2), na sexta-feira, frente ao Boavista, torna "importante mas não decisivo" para o Sporting levar de vencidos os 'canarinhos', até porque "de certeza que, ganhado os três pontos", os 'leões' ganham "pontos a um rival que está atrás".

"Tendo como objetivo o título, também a Liga dos Campeões é muito importante para nós e temos de ganhar os nossos jogos, não deixar os nossos rivais, os que estão atrás, aproximarem-se e tentar chegar à frente", assumiu Amorim.

A Liga dos Campeões, de resto, é uma 'montra' para os talentos do plantel e Amorim viu "com agrado" o reconhecimento da qualidade de Matheus Nunes por parte de Pep Guardiola, treinador do Manchester City, mas lembrou que o jovem médio dos 'leões' "tem de trabalhar para manter o nível".

"Acho que ele pode ser muito melhor. Tem de ficar contente com os elogios, mas não ligar muito. O futebol é o dia-a-dia e ele tem de provar sempre no dia a seguir o jogador que é, saber que no início da época não era o pior e agora não é o melhor", advertiu Rúben Amorim.

O Sporting recebe o Estoril Praia no domingo, em partida da 23.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com início marcado para as 18:00, no Estádio José Alvalade, e arbitragem de Hélder Malheiro, da Associação de Futebol de Lisboa.

A equipa de Rúben Amorim procura aumentar para seis pontos a distância para o terceiro classificado, o Benfica, que empatou 2-2 na visita ao Boavista, na abertura da jornada, e encurtar para três pontos a diferença para o líder FC Porto, que só entra em campo às 20:00, após o jogo dos 'leões'.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de