A noite de pesadelo no Dragão. Krasnodar deixa FC Porto fora da Liga dos Campeões

Em 33 minutos, o Krasnodar marcou três golos no Estádio do Dragão. Na segunda parte, o FC Porto marcou dois, relançando a eliminatória. Acompanhe as reações na TSF.

Num estádio do Dragão praticamente cheio, o FC Porto não queria deixar fugir aquilo que está habituado: entrar na Liga dos Campeões. É que a equipa azul e branca, nas últimas nove épocas, esteve sempre na fase de grupos da liga milionária.

Apesar do timing, e após uma entrada em falso na Liga Portuguesa, Sérgio Conceição sentiu a pressão e fez várias alterações ao onze inicial. Promoveu as entradas o regresso de Danilo e as estreias de Saravia e Nakajima.

Mas esta segunda mão da 3.ª eliminatória começou de uma forma amarga. Ao terceiro minuto de jogo, Tony Vilhena, soltou de marcação na área portista, colocou o Krasnodar na frente do marcador.

O FC Porto tentou reagir mas sem sucesso. O pesadelo parecia estar destinado e a turma russa chegou ao segundo golo. Numa transição ofensiva, os homens da frente de ataque do Krasnodar aproveitaram o desleixo e o espaço dado pela defensiva azul e branca. Suleymanov surgiu na cara de Marchesín e não falhou.

O extremo russo, que na última época deu nas vistas na Liga Europa, entusiasmou-se, tal como a equipa. Nas bancadas, os adeptos estavam apreensivos, porque notavam que a equipa estava sem ideias e elos de ligação. E o Krasnodar sabia para o que vinha.

Suleymanov, de 19 anos e muito tecnicista, intrometeu-se novamente no ataque e num remate cruzado aumentou a vantagem para 3-0, gelando o Dragão.

A primeira parte terminou com um coro de assobios bem audível nas bancadas, onde os adeptos se mostravam apreensivos.

No segundo tempo, Sérgio Conceição foi obrigado a mexer face à lesão de Sérgio Oliveira. O médio saiu de maca do relvado e o técnico portista promoveu mais uma estreia, fazendo entrar o internacional colombiano Uribe.

Logo a seguir, o Krasnodar teve nova oportunidade para voltar a faturar, mas Marchesín, um dos reforços dos dragões, evitou o quarto golo da equipa adversária.

O FC Porto teve oportunidade para reagir. Martynovich derrubou Zé Luís junto da meia-lua. Na sequência do livre direto, e em posição frontal, Alex Telles, especialista neste tipo de lances, atirou sobre a barra da baliza russa. Logo a seguir, após uma jogada de entendimento pela esquerda, Zé Luís reduziu a desvantagem, dando esperança a um Dragão repleto de adeptos.

O Krasnodar, nesta altura do jogo, já só defendia e tentava surpreender em contra-ataque. O FC Porto tomou conta da partida e criava muitas dificuldades à equipa russa. O segundo golo dos dragões chegou por intermédio do reforço colombiano Luís Díaz, num remate indefensável para o guardião Safonov.

A eliminatória estava relançada e o FC Porto precisava apenas de mais um golo para conseguir a presença no play-off. Mas o objetivo não alcançado e o jogo terminou com a vantagem conquistada pelo Krasnodar. Desta forma, o FC Porto falha, pela primeira vez em oito anos, a participação na fase de grupos da Liga dos Campeões.

No final do encontro, a equipa liderada por Sérgio Conceição ouviu muitos assobios das bancadas.

Onze do FC Porto: Marchesín; Saravia, Pepe, Marcano e Alex Telles; Luis Díaz, Danilo, Sérgio Oliveira e Corona; Nakajima e Marega.

Suplentes do FC Porto: Diogo Costa, Mbemba, Wilson Manafá, Uribe, Romário Baró, Zé Luís e Aboubakar.

Onze do Krasnodar: Safonov; Petrov, Martynovich, Spajic e Ramírez; Kambolov, Cabella e Tonny Vilhena; Suleymanov, Marcus Berg e Wanderson.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados