Habemus Premier League!

Regressa esta quarta-feira um dos campeonatos mais excitantes da Europa do futebol. O futebol volta a Inglaterra com todas as medida sanitárias que este regresso impõe e, por isso mesmo, sem adeptos, que são um dos grandes atractivos do espectáculo futebolístico na Velha Albion.

Cedo se percebeu que o título ia mudar de mãos esta temporada. O City perdia pontos a um ritmo anormal para um bi-campeão e os homens de Klopp, muitas vezes mais eficazes do que propriamente espectaculares, somavam vitórias atrás de vitórias. Por isso, no final da primeira volta, eram 13 os pontos de avanço sobre o segundo classificado. Que também se chama City mas mora em East Midlands, na industrial cidade de Leicester. O Man. City já ia a 14 pontos do Liverpool.

Então colocavam-se várias questões: tornar-se-á o Liverpool o campeão mais rápido de sempre, se calhar ainda no mês de Março? Conquistarão os "Reds" o tão desejado título a 21 de Março em Goodison Park, casa do Everton, perante os adeptos do grande rival citadino? No entanto, todas as certezas se transformaram em dúvidas devido ao Covid 19, e o primeiro título no século XXI e na era Premier League ficava subitamente em perigo.

Depois de semanas a fio de indecisões, avanços e recuos foi tomada a decisão de retomar o campeonato. Aston Villa x Sheffield United e Man. City x Arsenal são as partidas que amanhã vão colocar o calendário em dia e a partir de sexta-feira jogar-se-ão as 9 partidas em falta. Se o campeão está definido, ainda há muito por jogar nas outras posições. A começar pelos lugares de acesso à Liga dos Campeões. Man. City e Leicester estão bem colocados para garantir duas das vagas disponíveis, tendo respectivamente 12 e 8 pontos de avanço sobre o quinto classificado Man. United. O Chelsea com 48 pontos ocupa actualmente a quarta posição. No entanto, há ainda a ter em conta a possibilidade do Man. City ser excluído das provas europeias. Assim, o quinto lugar dará acesso à prova milionária, o que tornará esta luta verdadeiramente interessante e com candidatos surpresa.

À cabeça o Sheffield United. Os "Blades" de Chris Wilder são, a par do Leicester City, a grande surpresa da Premier League. Uma defesa de betão com apenas 25 golos sofridos, fazem com que os homens de Sheffield sejam a segunda equipa menos batida do campeonato, apenas superados pelo Liverpool. Se amanhã vencerem o Aston Villa em Birmingham, os "Blades" atingirão a quinta posição, ultrapassando o Man. United. O fantástico Wolverhampton de Nuno Espírito Santo também terá uma palavra a dizer. Após um início de campeonato titubeante, os Wolves deram a volta e ocupam a sexta posição com 43 pontos. Com um plantel de muito valor, não será de desdenhar uma candidatura à Champions por parte dos homens do Molineux. Ligeiramente atrás com 41 e 40 pontos estão os rivais do norte de Londres, Tottenham e Arsenal respectivamente. Atendendo à valia das equipas, uma recuperação na tabela é ainda possível.

Burnley, Crystal Palace, Everton, Newcastle e Southampton vêm a seguir na classificação e as suas posições não deverão mexer muito e acabarão a prova com tranquilidade. Muito menos tranquilas estarão 6 equipas, que lutarão pelas suas vidas nas jornadas finais. O Brighton com 29 pontos é, para já o melhor colocado, seguindo-se West Ham, Watford e Bournemouth com 27 pontos. Os Villans de Birmingham seguem com 25 pontos e depositam muitas das suas esperanças na sua estrela maior, Jack Grealish, que no final da época deverá voar para outros patamares. O Norwich é o lanterna vermelha com 21 pontos e sonha com uma "Great Escape" para se manter entre os maiores de Inglaterra.

Que role a bola, que comece o espectáculo e que sejamos presenteados com muitos golos e muita emoção!

Miguel Batista (A Economia do Golo)*

Esta rubrica é uma parceria TSF e A Economia do Golo

* Nota do Editor: O autor opta por escrever ao abrigo do anterior Acordo Ortográfico.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de