Jogo B SAD - Benfica. O que aconteceu no Jamor foi "deplorável" e "vergonhoso"

Salvador Malheiro admite que ainda não sabe se o PSD pedirá responsabilidades públicas relativamente à possibilidade de adiamento do jogo no Jamor.

Salvador Malheiro, diretor de campanha de Rui Rio nas diretas do PSD, considerou esta manhã que o jogo entre a B SAD e o Benfica no fim de semana "é um assunto que nos envergonha a todos".

Em entrevista na Manhã TSF, conduzida por Fernando Alves, o vice-presidente do PSD foi questionado sobre se o PSD vai pedir responsabilidades políticas a quem não decidiu em tempo útil evitar a situação que se viveu no sábado no estádio do Jamor.

Apesar de admitir que ainda não tem "dados" quanto à posição oficial que o PSD deverá adotar, o autarca de Ovar não deixa de considerar "deplorável" e "vergonhoso" o que se passou no Jamor.

O Benfica venceu este sábado à B SAD, por 7-0. Os 'azuis', com quase todo o plantel infetado com Covid-19, entraram em campo com nove elementos, vários dos sub-23. Na segunda parte entraram apenas com sete e poucos segundos depois do reatar do encontro João Monteiro lesionou-se, tendo o árbitro bracarense Manuel Mota dados provimento às leis de jogo e terminado o encontro.

Nesta segunda-feira, o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e a Direção-Geral da Saúde divulgaram que 13 casos da nova variante Ómicron tinham sido detetadas em Portugal, entre jogadores da B SAD e respetivo staff. Uma das pessoas que testaram positivo à Covid-19 e apresenta uma infeção com esta nova variante "terá tido uma viagem recente à África do Sul".

Em entrevista à TSF, Graça Freitas manifestou esta manhã não ter opinião acerca da realização do jogo do Benfica com a B SAD, já que a competência das autoridades de saúde não é fazer a avaliação dos jogadores que ficaram e não ficaram isolados. É uma "competência exclusivamente desportiva", argumentou Graça Freitas, que acredita que a saúde não tem de fazer qualquer intervenção nestes casos. "À saúde cabe detetar e isolar casos e contactos. Não é da competência da saúde, de todo."

A responsabilidade será das autoridades desportivas, já que não compete à saúde interferir no domínio do desporto, apontou assim Graça Freitas. "Será da competência da liga, dos clubes, do que for", reconheceu a responsável. "Eu não sei regras desportivas, essas competências devem ser separadas. À saúde, a saúde. Ao desporto, o desporto."

LEIA TUDO AQUI SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de