Mais de 38 mil votantes. Numa participação histórica, Vieira reeleito com 62,59% dos votos

As eleições para a presidência do Benfica bateram o recorde de maior número de votantes.

Luís Filipe Vieira recebeu um voto de confiança dos sócios e segue para um sexto mandato na liderança do Benfica, até 2024. O presidente encarnado venceu as eleições com 62,59% dos votos, ficando à frente de João Noronha Lopes (34,71%) e Rui Gomes da Silva (1,64%).

As eleições para a presidência do Benfica bateram o recorde de mais concorrida de sempre, com 38.058 votantes. A afluência às urnas ultrapassou, em grande escala, a eleição de Luís Filipe Vieira frente a Rui Rangel, em 2012, quando votaram 22.676 sócios.

A terceira maior votação no clube aconteceu em 2000, num período crítico financeira e desportivamente, quando compareceram nas urnas 21.854 votantes, numa eleição em que Manuel Vilarinho bateu João Vale e Azevedo.

Em 2016, Vieira apresentou a única lista a sufrágio, conquistando um total de 95,52% dos votos. O mandato ficou marcado por vários casos de corrupção a envolver o dirigente e o clube encarnado.

O dia de eleições começou com críticas de João Noronha Lopes, candidato pela lista B, ao sistema eleitoral implementado pela atual presidência. Noronha Lopes afirmou que a contagem de votos eletrónica pode não ser totalmente fiável, e pediu a recontagem através dos votos depositados nas urnas.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, Virgílio Duque Vieira, não cedeu e confirmou a promulgação dos resultados através, exclusivamente, do método eletrónico. O dirigente assumiu, no entanto, que qualquer sócio pode apresentar um requerimento para que os votos sejam recontados, por via judicial.

No ato eleitoral que decorreu desde as 08h00 de quarta-feira, apresentam-se, além de Vieira, os antigos vice-presidentes João Noronha Lopes e Rui Gomes da Silva.

Noronha Lopes, gestor de 54 anos, foi um dos impulsionadores da candidatura de Manuel Vilarinho em 2000. Já Rui Gomes da Silva, advogado e antigo ministro, de 62 anos, foi vice de Luís Filipe Vieira entre 2009 e 2016, tornando-se crítico do atual presidente.

Esta foi apenas a terceira vez na história do clube da Luz que concorreram três listas às eleições.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de