Espanhóis reconhecem calçada à portuguesa como "bem protegido" em praça de Badajoz

Espanhóis reconhecem calçada à portuguesa como "bem protegido" em praça de Badajoz

A calçada à portuguesa da Praça de Cervantes, em Badajoz, acaba de ser classificada como Património Histórico e Cultural da Estremadura, passando a ser considerada um bem protegido. Datada de 1888, é o exemplo mais antigo da calçada portuguesa que existe em Espanha, mas este novo estatuto fez disparar os contactos espanhóis junto dos calceteiros de Gáfete, autores de vários trabalhos do género pelas calçadas da vizinhança estremenha.

Nuria Quesada contempla a praça em fim de tarde e elogia a calçada em forma de estrela a branco e negro. "O mais bonito que tem a praça é esta calçada de origem portuguesa. Pode ser que a partir de agora passe a ser mais valorizada pela população de Badajoz, porque até aqui não tem sido", diz, fazendo fé que o estatuto de património histórico e cultural da Estremadura se revele uma "ajuda" nesse sentido.

AUTOvoucher passa ao lado dos portugueses que vivem na fronteira

AUTOvoucher passa ao lado dos portugueses que vivem na fronteira

Não há IVAucher de combustíveis que impeça os portugueses de ir a Espanha abastecer. O desconto português de 10 cêntimos por litro não supera os "20 a 30" que lucra quem atravessa a fronteira para encher o depósito. E, do lado de cá, os postos resignam-se. "Aqui não temos como combater a Espanha. Estamos sempre a 20 e a 30 cêntimos de diferença de um lado para o outro. O gasóleo hoje [ontem] estava lá a 1,34 euros e aqui a 1,59. Não há hipótese", afirma José Luís Silva, que gere um posto de abastecimento, junto à Estrada Nacional 13, à entrada da cidade de Valença.