Huawei perde liderança do mercado de telemóveis em Portugal

A marca chinesa venceu 181 mil telemóveis em Portugal no segundo trimestre do ano passado.

A pressão de Trump teve efeitos sobre a Huawei em Portugal e no Mundo. Em Portugal, três semanas duras fizeram com que a empresa cedesse a liderança do mercado, mas entretanto as vendas da fabricante chinesa já voltaram ao ritmo normal. A confirmação chega através da IDC, empresa analista de mercados.

Com a crise iniciada por Donald Trump, a Huawei perdeu a liderança do mercado dos telemóveis em Portugal. Os dados publicados esta sexta-feira pela IDC mostram que a Samsung voltou a ser a marca mais vendida em território nacional.

No segundo trimestre do ano passado, a Huawei vendeu em Portugal quase 181 mil telemóveis. Estava à frente da Samsung, a segunda, que conseguiu pôr nas mãos dos portugueses 164 mil equipamentos.

Este ano, já com a colocação da Huawei na lista negra norte-americana, as posições inverteram-se. A Samsung vendeu 196 mil e a Huawei ficou-se pelos 173 mil telemóveis.

Em terceiro continua a Apple, que este ano vendeu quase mais 15% de iPhones do que no ano passado: um pouco acima dos 66 mil.


Uma subida a nível nacional que não espelha o que se passa na globalidade do mundo. Aí, a marca fundada por Steve Jobs, vendeu 33 milhões de equipamentos (no mesmo trimestre de 2018 tinham sido 41 milhões) e tem a Xiaomi à perna com 32 milhões.

Na liderança mundial está a Samsung com 75 milhões, em segundo está a Huawei com 58 milhões.

São dados revelados por Francisco Jerónimo, vice-presidente da IDC uma consultora norte-americana especialista na análise de mercados ligados à electrónica.

O especialista conta que a pressão norte-americana foi um susto para a Huawei, mas o pior já passou. Aliás, "depois das duas/três semanas" em que a crise foi mais aguda e o tema deixou de ser notícia, "os consumidores quase esqueceram que tinha havido um problema" com os smartphones da Huawei "e voltaram novamente a comprar".

Quedas a nível mundial

Menos mal, dirá a Huawei portuguesa, mas certo é que cá, a fabricante perdeu terreno. Francisco Jerónimo lemmbra que a Huawei nos últimos trimestres "estava a crescer a uma média de 40% -45% face ao periodo homólogo e as vendas em Portugal, no segundo trimestre deste ano, caíram mais de 4%".

Desacelerarou o cresimento e "em Portugal era a número um" e agoras "perdeu a liderança para a Samsung".

Quebras também a nível global. A Huawei tinha o sonho de terminar este ano como a maior vendedora de telemóveis no mundo.

Francisco Jerónimo, vice-presidente da IDC para a área de equipamentos electrónicos diz que ainda é possível. Mas "tudo vai depender da decisão dos Estados Unidos que vai ser anunciada no dia 19 de Agosto, três meses depois da Huawei ter sido colocada na lista negra de empresas que não podem fazer negócios com empresas norte-americanas".

Se a administração Trump mantiver essa decisão "dificilmente a Huawei vai conseguir ultrapassar a Samsung e, pior do que isso, as vendas vão cair dramaticamente".

Mas também pode acontecer o contrário e assim, diz Franscisco Jerónimo, "se não foram líderes no final deste ano, muito provavelmente vão ser no início do próximo".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de