Rocha parecia sedimentar, mas, afinal, é vulcânica. Perseverance faz descoberta em Marte

A nova descoberta vai ajudar os cientistas a compreender a história da cratera de Jezero, bem como do restante "planeta vermelho".

Os cientistas começavam a pensar que nunca encontrariam a resposta. A ideia inicial era que a rocha parecia sedimentar. Dez meses após a chegada do robô Perseverance, da NASA, a Marte, há agora uma nova conclusão. A rocha do "planeta vermelho" é, afinal, formada por lava vulcânica, anunciou a agência espacial norte-americana. Esta descoberta poderá ajudar os cientistas a compreender a história da cratera de Jezero, bem como do restante planeta.

A equipa de especialistas concluiu também que, ao longo do tempo, as rochas presentes na cratera interagiram várias vezes com a água, e que algumas continham moléculas orgânicas.

"Um bom estudante de geologia dirá que esta textura indica a rocha formada quando os cristais cresceram e assentaram num magma de arrefecimento lento - por exemplo, um fluxo de lava espesso, lago de lava ou câmara de magma", explicou Farley, um dos cientistas responsáveis nesta missão.

"A rocha foi então alterada várias vezes pela água, tornando-se um verdadeiro tesouro que permitirá aos futuros cientistas datar os acontecimentos em Jezero, compreender melhor o período em que a água era mais comum na sua superfície e revelar o início da história do planeta", acrescentou.

A missão "Mars Sample Return" começou com o robô Perseverance, que viajou até Marte para recolher amostras de rochas em busca de sinais de vida no "planeta vermelho". O objetivo é trazer essas amostras de volta à Terra para que sejam analisadas por instrumentos mais avançados dos que os que podem ser levados para Marte.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de