Unboxing ao TCL Plex: é tempo da Xiaomi tremer?

Custa 350 euros e vem com algumas características capazes de chamar a atenção. É o caso da câmara de 48MP, mas também o facto de ser uma das maiores fabricantes do mundo de televisores. A TCL acaba de lançar o seu primeiro telemóvel na Europa.

É um smartphone de gama média que tenta conquistar adeptos de várias formas. Desde o aspeto até ao ecrã, que apesar de ser um LCD, vem com tecnologia que o tenta destacar face aos opositores.

Sobre a câmara principal convém sublinhar que é composta por três lentes. O sensor mais importante é o de 48MP, mas há também uma ultra grande angular de 16MP e uma outra lente que é para imagens noturnas, diz a TCL. Trata-se de um chip que mede 2.9 micrómetros e é ele que entra em ação em caso de pouca luminosidade. A fabricante orgulha-se dos resultados, mas que ninguém espere que se compara aquilo que os topo de gama conseguem fazer.

O Plex vem ainda com uma câmara das selfies de 24MP, o Android 9, o processador Snapdragon 675 da Qualcomm, 6GB de RAM e 128 gigas de armazenamento. Há também um slot microSD para esticar esse espaço, mas nesse caso, só se pode usar um cartão SIM, em vez de dois.

Sobre a tradição da marca no fabrico de TVs, convém sublinhar que a TCL optou por acrescentar ao Plex um processador apenas dedicado à tela LCD (de 6,5 polegadas) e à conversão das imagens de SDR ou seja, de Standard Dinamic Range para o mais interessante HDR High Dynamic Range. Ou seja, os filmes neste ecrã têm teoricamente mais detalhe e uma maior amplitude de cores do que na maioria dos outros ecrãs LCD.

A TCL diz que se trata da tecnologia NEXTVISION. É pouco provável que seja milagrosa, mas comparando com os resultados obtidos por outros telemóveis de 350 euros, talvez seja uma boa novidade.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados