Do pequeno ecrã para a cadeira do poder. Novo Presidente da Ucrânia é um comediante

Já era esperado e confirmou-se: Volodymyr Zelenskiy venceu a segunda volta das eleições ucranianas, derrotando o até agora Presidente Petro Poroshenko, e é o novo chefe de Estado do país. É caso para dizer que a expressão 'da ficção para a realidade' nunca fez tanto sentido.

Volodymyr Zelenskiy é o novo Presidente ucraniano. O ator que ficou conhecido pela série 'Servos do Povo' conseguiu transformar a ficção em realidade e vencer as eleições por uma larga maioria em relação Petro Poroshenko, que era o atual Presidente.

Os inúmeros casos de corrupção e o estado do país prejudicaram o chefe de Estado, que foi vendo as sondagens darem-lhe uma desvantagem avassaladora, principalmente após a primeira volta, onde já tinha sido derrotado pelo comediante.

Mas, afinal, quem é o homem que vai presidir a Ucrânia sem qualquer experiência política? Ator, apresentador, realizador e produtor. Aos 41 anos, Volodymyr Zelenskiy é considerado pela população uma "pessoa verdadeira", que foge da tradicional "elite política" e que transmite ideias positivas para o país.

Na televisão, o candidato à Presidência foi protagonista da série 'Servos do Povo', onde interpretou um professor que acidentalmente chegou a chefe de Estado do país, depois de ter feito um discurso efusivo sobre a política ucraniana que se tornou viral nas redes sociais.

Apesar de muitos terem expectativas elevadas em relação ao comediante e ao que pode mudar na Ucrânia, as ideologias políticas de Zelenskiy estão longe de ser conhecidas. O até agora candidato afastou-se da comunicação social, não deu entrevistas e usou essencialmente as redes sociais para se manter perto dos eleitores.

O ator, que deixou Poroshenko 'pendurado' e sem rival no primeiro debate , surpreendeu ao aparecer no segundo frente a frente e saiu vitorioso. Para a história do debate fica a frase que o comediante mais tem transmitido: "Eu não sou um homem político!"

No debate, Poroshenko e Zelenskiy subiram de tom várias vezes, com críticas de lado a lado e, em algumas altura, quase parecia que estar a representar. Poroshenko chegou mesmo a sair do seu lugar para se aproximar do humorista quando este estava a ler o discurso, de modo a pressioná-lo.

Um dos momentos da noite aconteceu quando os protagonistas se ajoelharam - a simular uma homenagem a Putin se travasse a guerra -, com Poroshenko a ficar de frente para a bandeira - e consequentemente de costas para o público - e Zelenskiy exatamente na posição oposta, virado de frente para quem assistia.

A necessidade de resolver a situação de conflito no Leste do país, o que obriga a uma negociação com a Rússia, é uma das poucas ideias conhecidas do Presidente eleito da Ucrânia e que lhe granjeou apoio popular. Desde que a Península da Crimeia foi anexada pela Rússia, em 2014, já morreram mais 13 mil pessoas num conflito armado que não tem fim à vista. A população da Crimeia foi impedida de ir este domingo às urnas, tal como os ucranianos das zonas ocupadas de Donetsk e de Lugansk, onde o voto também não foi possível.

Debates e sondagens à parte, a verdade é que Zelenskiy conquistou o povo ucraniano e chegou à Presidência. Com poucas propostas e ideias expostas durante a campanha, resta saber como vai ser a sua posição quando tomar posse e chegar ao Palácio Mariyinsky.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de