A cada dois minutos há uma denúncia de agressões sexuais na União Europeia

Europol lançou uma campanha em 19 países para procurar os agressores sexuais mais perigosos da Europa.

Na União Europeia, a polícia regista um crime sexual a cada dois minutos, em média, segundo a Europol, que lançou esta terça-feira uma campanha em 19 países para procurar os agressores sexuais mais perigosos da Europa.

A agência europeia de polícia (Europol) estima que, em média, a cada dois minutos uma vítima de agressão sexual denuncia o ataque num dos Estados-membros, com as mulheres e crianças entre as principais vítimas.

A Europol anunciou hoje que vai centrar a sua atenção nos perpetradores mais violentos de agressões sexuais, em fuga às autoridades.

Durante o próximo mês, o site eumostwanted.eu vai divulgar fotos e informações sobre suspeitos e condenados por agressões sexuais, com a polícia de vários países europeus a pedir a ajuda do público para localizar estes fugitivos à justiça, considerados atualmente os mais perigosos da Europa.

Na campanha digital participam as autoridades policiais de Espanha, Reino Unido, Suécia, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polónia e Roménia.

Cada país selecionou aquele que considera ser o fugitivo mais perigoso da sua lista dos mais procurados, tanto suspeitos como condenados por crimes sexuais que são objeto de mandados de captura europeus.

Informações de qualquer tipo podem ser enviadas anonimamente através da internet, de acordo com o 'site'.

A campanha de 2019 teve como lema "O crime não tem género", com a Europol a publicar uma lista das mulheres mais perigosas da União Europeia, sobretudo envolvidas em crimes financeiros.

Desde que a Europol lançou este projeto, em 2016, um total de 91 criminosos foram presos, tendo 33 sido localizados em parte graças às campanhas "Mais procurados" organizadas pela agência de coordenação policial europeia.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de