A voz de Guterres "tem de ser mais escutada"

Augusto Santos Silva deixou um apelo no dia em que se comemoram os 75 anos de existência da ONU. As alterações climáticas exigem a cooperação de todos, diz o ministro.

"A palavra do secretário-geral [da Organização das Nações Unidas] tem de ser mais escutada." O apelo é de Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, no dia em que a ONU completa 75 anos de existência.

Ouvido esta manhã pela TSF, o governante considerou que a Organização das Nações Unidas enfrenta vários desafios, entre os quais se destacam as alterações climáticas, que exigem o entendimento entre as maiores potências mundiais.

Augusto Santos Silva dá conta de um verdadeiro "drama existencial - como diz Guterres - que nem todos compreendemos, que é o drama do aquecimento global".

Para o ministro, já há progressos a registar, mas muito está ainda por fazer. "Houve um avanço, porque nesta assembleia geral a China já se comprometeu com uma data. O Presidente chinês disse que até 2060 a China asseguraria a neutralidade carbónica. Na União Europeia, o nosso compromisso é assegurá-la até 2050. Os norte-americanos continuam sem se comprometer."

O papel dos EUA e da China é crucial para debelar a ameaça climática, salientou ainda Augusto Santos Silva. "Basta pensar que Estados Unidos e China são responsáveis por um terço das emissões de gás com efeito de estufa no mundo para perceber que, só com essas duas grandes economias, nós conseguimos vencer o desafio da ação climática."

Para assinalar o dia das Nações Unidas, vários monumentos em Portugal vão estar esta noite iluminados de azul.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de