Capital da Bélgica anuncia extensão do recolher obrigatório

O governo local de Bruxelas anunciou este sábado novas medidas numa altura em que o número de infeções em 24 horas ultrapassa as 15 mil.

Com o aumento da pressão da pandemia, e da crítica dos especialistas no país, os vários níveis de governação na Bélgica têm vindo a divulgar um conjunto de novas medidas. Esta tarde, o governo regional de Bruxelas que anunciou a estratégia suplementar, que entra em vigor na segunda-feira a nível local, depois do governo federal já ter anunciado um plano para todo o território.

Na nova estratégia, o governo de Bruxelas volta a "restabelecer a obrigatoriedade do uso de máscara sobre todo território" da cidade, depois de no início de setembro ter havido a decisão que a medida não era mais necessária.

O plano anunciado pelo ministro presidente do governo local de Bruxelas, Rudi Vervoort incide sobre as atividades de lazer e atinge de forma implacável o setor cultural.

"Vamos encerrar os espaços de cultura, nomeadamente tudo o que tem a ver com museus e salas de exposição. Vamos encerrar as salas de desporto, nomeadamente, as piscinas, ringues de patinagem, ginásios. Vamos proibir todas as competições desportivas amadoras, e autorizaremos os treinos apenas para os menores de 12 anos. Há interdição das excursões escolares. Encerramento de espaços recreativos, como casas de apostas", anunciou o ministro presidente.

A certa altura, enquanto anunciava as medidas, durante a conferência de imprensa, Rudi Vervoort, que há duas semanas testou positivo para a Covid-19, retirou a máscara para continuar a apresentação das restrições.

"Autorizamos os serviços funerários unicamente com a presença de 15 pessoas, no máximo, com distanciamento de 1 metro e meio e sem possibilidade de exposição do corpo. Casamentos civis unicamente na presença do cônjuge, dos padrinhos e do notário. Casamentos religiosos, na presença do cônjuge, padrinhos e do padre", avançou.

O governo local pretende que "haja controlos reforçados, tendo em conta que o teletrabalho, que será mais do que uma norma, e torna-se uma regra". Para simplificar, Vervoort diz que "é, simplesmente, onde for exequível, tem de se fazer. Não estamos a dizer que recomendamos fortemente. Não. É: onde for exequível é para fazer".

O período de recolher obrigatório será alargado em Bruxelas e há novas restrições para os espaços comerciais, nomeadamente "o encerramento de todo o comércio às 20 horas. A instauração do recolher obrigatório das 10 da noite às 6 da manhã. E, evidentemente, nada de porta-a-porta ou desfiles de halloween. Está claro. É também proibido".

Nas últimas 24 horas, foram registadas, na Bélgica, 15 432 novas infeções, com uma taxa de incidência de 1119 infetados por cada 100 mil habitantes. 70 morreram vítimas da nova doença. 4061 pessoas estão internadas, incluindo 632 pessoas dependentes de cuidados médicos intensivos.

Com 60 por cento da capacidade dos hospitais dedicada à Covid-19, e com o número galopante de novos casos e recordes a cada dia que passa, os especialistas temem que estas medidas sejam insuficientes para evitar um novo confinamento geral.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de