Trinta por cento dos infetados em países europeus foram hospitalizados

Mais de 200 mil pessoas foram infetadas até esta quarta-feira pela doença provocada por um novo coronavírus na Europa.

Cerca de 30% das pessoas contagiadas até esta quarta-feira pelo novo coronavírus nos países da União Europeia (UE), Islândia, Liechtenstein e Noruega foram hospitalizadas, das quais 4% apresentavam sinais de doença grave, foi anunciado.

De acordo com um relatório divulgado esta quarta-feira pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC, na sigla inglesa), mais de 200 mil pessoas foram infetadas pela doença provocada por um novo coronavírus (SARS-CoV-2) na Europa. O número de mortes é acima de 10 mil.

Este total inclui os 27 estados-membros da UE, Islândia, Liechtenstein e Noruega - que integram o Espaço Económico Europeu (EEE) -, além do Reino Unido.

O documento publicado sublinha que, de acordo com as informações disponíveis, "30% dos casos diagnosticados" da Covid-19 nos países da UE/EEE "foram hospitalizados" - excluindo os casos registados no Reino Unido.

O estudo acrescenta que, entre os países da UE/EEE, 4% dos casos confirmados de contágio pela doença Covid-19 apresentavam sinais de "doença grave".

Segundo o relatório do ECDC, o número de casos da Covid-19 em toda a Europa "está a aumentar rapidamente" e a seguir "uma trajetória semelhante à que foi observada em Hubei [a província chinesa onde foi descoberto o SARS-CoV-2]", entre o final de janeiro e o início de fevereiro, e em Itália, entre o final de fevereiro e o início de março.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças dá também conta de que o risco de doença grave associada à Covid-19 na Europa é "atualmente considerado moderado" para a generalidade da população e "muito alto" para pessoas mais velhas ou com doenças crónicas.

O risco de disseminação comunitária a nível nacional em todos estes países, durante as próximas semanas, também é considerado moderado, se houver medidas de mitigação da propagação da pandemia eficazes.

Contudo, a proliferação do novo coronavírus poderá ser "muito alta" se foram implementadas "medidas de mitigação insuficientes". Já, risco de a capacidade dos sistemas de saúde dos países europeus ser excedida é considerado alto.

Em relação a Portugal, o relatório refere que o atual rácio é de cerca de 22 pessoas infetadas por cada 100 mil habitantes. O estudo, no entanto, apenas dá conta de 2632 casos confirmados no país, em oposição aos 2995 confirmados esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240 mil infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7503 mortos em 74 386 casos registados até esta quarta-feira.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 3434, entre 47 610 casos de infeção. Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram. Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de