França prevê resposta a quarentena obrigatória imposta por Londres

Paris lamentou a decisão do Reino Unido de reintroduzir a quarentena para cidadãos oriundos de França, por causa do aumento do número de contagiados pelo novo coronavírus neste país.

De acordo com uma publicação feita na rede social Twitter do secretário de Estado para os Assunto Europeus de França, Clément Beaune, a decisão de Londres "levará a uma medida de reciprocidade", na esperança de que o Reino Unido reverta a decisão "o mais rápido possível".

O Reino Unido vai voltar a impor a quarentena obrigatória para cidadãos provenientes de França e dos Países Baixos, por causa do aumento no número de infetadas pelo novo coronavírus nestes dois países.

Também através de um 'tweet', o secretário de Estado dos Transportes do Governo britânico, Grant Shapps, referiu que as informações disponíveis sobre a evolução da pandemia em vários países indicam que é necessário "remover França, os Países Baixos, o Mónaco, Malta, as ilhas Turcas e Caicos e Aruba" da lista de países seguros, para "manter os rácios de infeção baixos".

Por isso, a partir de sábado, qualquer cidadão que chegue ao Reino Unido proveniente de uma destas origens terá de ficar em isolamento durante 14 dias.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 750 mil mortos e infetou quase 21 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

O Reino Unido contabiliza mais 313 mil casos e 46.706 mortes desde o início da pandemia, enquanto França tem mais casos diagnosticados de covid-19 (331 mil), mas menos óbitos (30.388).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de