França pronta para enviar militares para a Roménia

Com a tensão na fronteira entre a Rússia e a Ucrânia a não dar sinais de alívio, a Europa admite enviar militares para a região. A ministra francesa da Defesa anunciou neste sábado que várias centenas de militares franceses estão prontos para serem mobilizados para a Roménia. Florence Parly garantiu ainda que a França está pronta a defender os países que estão perto desta zona, nomeadamente a Ucrânia.

A ministra francesa da Defesa, Florence Parly, anunciou neste sábado que várias centenas de militares franceses estão prontos para serem mobilizados para a Roménia, garantindo que a França está pronta a defender os países que estão perto desta zona, nomeadamente a Ucrânia.

Questionada na rádio France Inter sobre a crise ucraniana, a ministra francesa da Defesa, Florence Parly, afirmou que a França "preparou uma resposta militar perante uma possível intervenção militar da Rússia" na Ucrânia.

"O Presidente da República francês anunciou, recentemente, que a França está pronta, caso a NATO assim o decida, a enviar militares para a Roménia, de forma a poder garantir a segurança da região, uma vez que a Roménia é um país fronteiriço à Ucrânia", lembrou Florence Parly.

"Estamos a preparar-nos para uma possível intervenção a qualquer momento, e, claro, estamos em concertação com parceiros e países europeus para constituirmos esta força militar para enviar para a Roménia, liderada pela França. Estamos a falar de centenas de militares. Somos realistas, lúcidos e, portanto, estamos a agir por prevenção", afirmou a ministra francesa da Defesa.

A responsável pela pasta da Defesa esteve esta quinta-feira na Roménia para defender os países que estão mais próximos da zona de tensão, cuja prioridade é a Ucrânia.

Florence Parly anunciou ainda que está prevista uma reunião "muito em breve com membros da NATO". O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, informou neste sábado que está prevista uma deslocação à Ucrânia nos próximos dias 7 e 8 de fevereiro, com a homóloga alemã, Annalena Baerbock.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de