Série da HBO aumentou turismo em Chernobyl, o local do pior acidente nuclear da História

Uma cidade fantasma, onde os cães vagueiam sem rumo e nem os carrosséis ganham vida, é uma nova tendência do turismo. Tudo por causa de uma série televisiva sobre o pior acidente nuclear da História.

O sucesso de uma série televisiva norte-americana que tem por foco o pior acidente nuclear do mundo, em Chernobyl, aumentou o número de turistas interessados em visitar a fábrica e a cidade abandonada e fantasmagórica.

Uma agência de turismo de Chernobyl reportou mesmo um acréscimo de 40% nas reservas de viagens desde que a série, produzida pela norte-americana HBO, estreou em maio e conquistou imediatamente o consenso da crítica especializada.

As visitas guiadas em inglês custam geralmente cerca de 100 dólares (89 euros) por pessoa.

Em abril deste ano, comemorou-se o 33º. aniversário do desastre de Chernobyl. Ocorrido na então Ucrânia soviética, o acidente foi causado por um teste de segurança malsucedido num reator atómico, que emitiu nuvens de substâncias nucleares para grande parte do território europeu.

A série com assinatura da HBO expõe as consequências da explosão, a exigente operação de limpeza que foi necessário realizar e a investigação que sucedeu a fuga de matéria nuclear. A área em redor preserva o aspeto de um terreno baldio pós-apocalíptico, onde cães sem dono vagueiam e a vegetação invade os edifícios abandonados e sem janelas, povoados unicamente por escombros.

Em Pripyat, a cidade fantasma que já abrigou 50 mil pessoas, sobretudo trabalhadores da fábrica, um parque de diversões tem como espólio uma roda enferrujada de um carrossel, uma pista de carrinhos de choque e uma montanha-russa gigante que nunca chegou a funcionar. A roda deveria ter sido inaugurada no 1º. de maio, o tradicional Dia do Trabalhador.

Sergiy Ivanchuk, diretor da rota da SoloEast, revelou à Reuters que a empresa testemunhou um aumento de 30% nos turistas em maio deste ano, em comparação com o período homólogo de 2018. As reservas para junho, julho e agosto também subiram cerca de 40%, desde que a HBO passou a transmitir o programa televisivo.

Yaroslav Yemelianenko, diretor da Chernobyl Tour, admitiu que espera um aumento similar de 30% a 40% nas visitas guiadas. A empresa de Yaroslav Yemelianenko oferece uma rota especial pelos lugares retratados na série, inclusive o bunker onde foi tomada a decisão inicial de não evacuar os funcionários após a explosão.

Os autocarros disponíveis iniciam o trajeto no centro de Kiev e dirigem-se para a área abandonada, onde é possível ver os monumentos em homenagem às vítimas, bem como almoçar no único restaurante da cidade de Chernobyl.

Mas o ponto turístico mais relevante é mesmo o reator número quatro, coberto desde 2017 por uma enorme cúpula metálica de 105 metros de altura que envolve o conteúdo que explodiu. O dia termina com um passeio por Pripyat, a cidade desabitada onde aconteceu o pior acidente nuclear da História.

"Muitas pessoas vêm para cá, fazem muitas perguntas sobre a série, sobre cada acontecimento. As pessoas estão cada vez mais curiosas sobre o que se passou", esclareceu o guia Viktoria Brozhko, que frisou ainda que a área é segura para os visitantes.

"Durante toda a visita à zona do acidente nuclear, a radiação que cada pessoa recebe equivale à quantidade de radiação com que entraria em contacto se ficasse em casa durante 24 horas", garantiu.

Engageya Widget 1

Engageya Widget 2

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de