Macron e Putin negoceiam possível cimeira sobre a Ucrânia em Paris

Emmanuel Macron e Vladimir Putin mantiveram uma conversa telefónica na qual o Presidente francês saudou a troca de 70 prisioneiros (35 de cada lado) entre a Rússia e a Ucrânia, a primeira desde que eclodiu a guerra na região do Donbass.

Os Presidentes da França e da Rússia consideraram este domingo que a "atual dinâmica" do conflito entre Moscovo e Kiev, após a troca de prisioneiros, permitirá organizar em Paris, "nas próximas semanas", uma cimeira com o designado grupo de Normandia.

De acordo com um comunicado do Eliseu, os dois responsáveis, Emmanuel Macron e Vladimir Putin, mantiveram uma conversa telefónica na qual o Presidente francês saudou a troca de 70 prisioneiros (35 de cada lado) entre a Rússia e a Ucrânia, a primeira desde que eclodiu a guerra na região do Donbass.

Ambos "confirmaram que a dinâmica atual permitiria reunir nas próximas semanas uma cimeira do chamado quarteto da Normandia, em Paris, para progredir na aplicação do acordo de Minsk", indicou a presidência francesa.

No sábado, Macron disse que a França e Alemanha estavam a intensificar esforços no âmbito do grupo de Normandia, que reúne estes dois países como mediadores entre Rússia e Ucrânia, também incluídos.

A eventualidade de uma cimeira na capital francesa tem sido admitida nas últimas semanas, em particular após Macron ter recebido Putin a 18 de agosto no forte de Bregançon, a sua residência de férias.

Macron manifestou em Bregançon o desejo de uma reaproximação à Rússia após o esfriamento das relações com Putin na sequência da anexação da Crimeia em 2014.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de