Natal na Europa depende de medidas tomadas agora, diz Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças

A Europa está a registar, por dia, perto de 250 mil novos casos e mais de duas mil mortes.

A celebração do Natal este ano na Europa vai "depender muito" das medidas adotadas agora pelos países europeus para combater a pandemia de Covid-19, avisa o Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC).

"Ainda falta algum tempo até ao Natal, mas penso que a forma como o Natal será celebrado depende muito do que for feito agora", declara o diretor do departamento de Vigilância do ECDC, Bruno Ciancio, em entrevista à agência Lusa.

Numa altura em que a Europa está a registar, por dia, perto de 250 mil novos casos e mais de duas mil mortes, o responsável acrescenta: "Se formos capazes de reverter esta tendência, isso irá permitir que possamos ter um bom Natal".

Ainda assim, admite que, à semelhança do verão, esta será uma época natalícia atípica.

"Não será um Natal com viagens pelo mundo ou com grandes ajuntamentos, mas ainda poderá ser um Natal com significado e pacífico se baixarmos as taxas de infeção", conclui Bruno Ciancio na entrevista à Lusa.

As declarações de Bruno Ciancio surgem depois de, em meados deste mês, o Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, ter admitido que poderá ser necessário "repensar o natal em família", devido ao aumento exponencial de casos de Covid-19.

"É preciso repensar o natal em família, repensa-se o natal em família. Não pode ser um natal com 100 pessoas, com 60 pessoas, com 50 pessoas, com 30 pessoas, divide-se o natal pelas várias componentes na família", referiu o chefe de Estado na altura.

Também nessa ocasião, Marcelo Rebelo de Sousa argumentou que "é preciso que as pessoas percebam que isto é uma tarefa de todos", acrescentando que "essa tarefa significa cada qual por si fazer um esforço".

O chefe de Estado exortou, ainda, a uma "precaução adicional, neste período de pico" da pandemia.

Sediado na Suécia, o ECDC tem como missão ajudar os países europeus a dar resposta a surtos de doenças.

Em todo o mundo, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção.

Em Portugal, morreram 2371 pessoas dos 124.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de