NATO deve desempenhar um "papel maior" no combate às alterações climáticas

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte manifestou-se assim "ansioso por começar a trabalhar estreitamente" com o enviado especial do Presidente norte-americano para o clima, John Kerry.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, defendeu esta quarta-feira que a Aliança deve desempenhar um "papel maior" no combate às alterações climáticas, após uma reunião com o enviado especial do Presidente norte-americano para o clima, John Kerry.

"É fantástico dar as boas-vindas ao enviado especial John Kerry. Concordámos que as transições climáticas tornam o mundo mais inseguro, por isso a NATO precisa de intensificar e desempenhar um papel maior no seu combate, incluindo através da redução das emissões militares", escreveu Jens Stoltenberg na sua conta oficial da rede social Twitter.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) manifestou-se assim "ansioso por começar a trabalhar estreitamente" com John Kerry, com quem se reuniu esta quarta-feira presencialmente.

O enviado especial do Presidente norte-americano para o clima encontra-se numa deslocação à Europa para preparar, junto dos parceiros europeus, a Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP26), que terá lugar em Glasgow, no Reino Unido, entre 01 e 12 de novembro.

Após se ter reunido com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na segunda-feira, John Kerry participou na terça-feira na reunião semanal do colégio dos comissários europeus, tendo, nessa ocasião, referido que os Estados Unidos não "têm melhor parceiro" que os "amigos europeus" no combate às alterações climáticas.

"Não temos melhores parceiros que os nossos amigos aqui na Europa, na UE. É importante que nos alinhemos, (...) porque nenhum país pode resolver esta crise sozinho, serão necessários todos os países e mais que apenas os Governos: será necessária a sociedade civil, as comunidades e o setor privado", declarou.

Esta quarta-feira, além do encontro desta manhã com Jens Stoltenberg, John Kerry irá deslocar-se a Paris para se encontrar com o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Trata-se da primeira deslocação internacional de um membro da administração norte-americana de Joe Biden.

A visita de John Kerry surge após, em 19 de fevereiro, os Estados Unidos terem regressado oficialmente ao Acordo de Paris, com o Presidente Joe Biden a comprometer-se a fazer da luta contra a mudança climática uma alta prioridade e a designar o antigo secretário de Estado e antigo candidato à Casa Branca John Kerry seu emissário para as questões do clima.

Quase quatro anos depois de Donald Trump ter anunciado a retirada dos Estados Unidos do acordo, o regresso dos EUA - a maior economia mundial e a segunda maior emissora de CO2 - significa que quase todas as nações do planeta são esta quarta-feira partes interessadas do tratado assinado em Paris em 2015.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de