País Basco espanhol decreta confinamento da região e dos seus municípios

Habitantes da região só podem sair das localidades em que residem por razões autorizadas, como ir trabalhar ou ao médico, estudar ou prestar assistência a familiares que necessitem de cuidados.

O Governo regional do País Basco decidiu confinar esta comunidade autónoma espanhola, assim como todos os seus municípios, a partir das 06h00 de terça-feira, para lutar contra o aumento de casos da pandemia de Covid-19.

Os habitantes da região só podem sair das localidades em que residem por razões autorizadas, como ir trabalhar ou ao médico, estudar ou prestar assistência a familiares que necessitem de cuidados.

O responsável pelo pelouro da saúde do executivo regional, Gotzone Sagardui, anunciou hoje as novas restrições, depois da declaração no domingo do estado de emergência em todo país, o que permite tomar este tipo de medidas sem a autorização da justiça.

O País Basco entrou hoje numa zona perigosa no que diz respeito à transmissão da Covid-19, após ter ultrapassado o nível de incidência acumulada 500 casos diagnosticados por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

O Governo regional também decretou o recolher obrigatório entre as 23:00 e as 06:00, o mesmo período que tinha sido indicado pelo executivo central espanhol, e foram ainda proibidas as reuniões de mais de seis pessoas.

O País Basco teve até agora 60.511 casos de Covid-19 num total de 1.098.320 em todo o país, enquanto o número de mortes foi de 2.039 para um total de 35.031.

Esta região espanhola tem cerca de 2,2 milhões de habitantes num total de cerca de 47 milhões em toda a Espanha.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.343 em Portugal.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (44.896 mortos, mais de 873 mil casos), seguindo-se Itália (37.479 mortos, mais de 542 mil casos), França (34.761 mortos, mais de um 1,1 milhões de casos) e Espanha (35.031 mortos, mais de 1,098 milhões de casos).

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de