Países do G7 rejeitam exigência de pagamento do gás russo em rublos

Vladimir Putin anunciou, na semana passada, que o Governo russo deixaria de aceitar o pagamento em euros e em dólares nas exportações de gás para a União Europeia.

Os países do G7 consideraram esta segunda-feira que a exigência de Moscovo de pagamento em rublos do gás russo é "inaceitável", declarou o ministro da Economia alemão, Robert Habeck.

"Todos os ministros do G7 estiveram de acordo sobre o facto de se tratar de uma violação unilateral e clara dos contratos existentes (...) o que significa que um pagamento em rublos não é aceitável", disse Habeck, após uma reunião em formato virtual com os seus homólogos do G7.

"Penso que esta exigência pode ser interpretada com o facto de Putin estar encostado à parede", afirmou, em alusão ao Presidente russo, Vladimir Putin, que anunciou na semana passada que Moscovo deixaria de aceitar o pagamento em euros e em dólares nas exportações de gás para a União Europeia.

Putin deu uma semana às autoridades russas para organizarem um novo sistema de liquidação em rublos.

"Pedimos às empresas abrangidas para não responderem à exigência de Putin", disse ainda Robert Habeck, acrescentando que a Rússia "não é um fornecedor de confiança".

Com esta exigência, "a tentativa de Putin de nos dividir é evidente", acrescentou o ministro da Alemanha, país que preside este ano ao G7, grupo que inclui ainda Estados Unidos, França, Reino Unido, Canadá, Japão e Itália.

O Presidente russo explicou que esta decisão foi tomada em reação ao congelamento de ativos da Rússia decidida pelos países ocidentais para sancionar Moscovo pela invasão da Ucrânia.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de