Rússia regista recorde de 320 mortes diárias e impõe novas medidas

Os russos terão de usar máscara "em lugares lotados, transportes públicos, táxis, estacionamentos e elevadores".

A Rússia registou 320 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número de óbitos num dia desde o início da pandemia, levando as autoridades de saúde a imporem novas medidas para combater o novo coronavírus.

De acordo com estatísticas oficiais, 16.550 novos casos positivos do novo coronavírus foram detetados nas últimas 24 horas, 4.312 deles em Moscovo, que é o principal foco infeccioso do país.

A capital russa acumula 405.352 casos de infeção pelo SARS-CoV-2 e 6.503 mortes pela Covid-19, 61 delas nas últimas 24 horas.

As autoridades russas anunciaram hoje um aumento das restrições para combater a pandemia do novo coronavírus, com a obrigação de usar máscara em locais públicos e recomendações para limitar a vida noturna, num cenário de agravamento da pandemia.

De acordo com um documento publicado pela autoridade de saúde russa Rospotrebnadzor, os russos terão de usar uma máscara "em lugares lotados, transportes públicos, táxis, estacionamentos e elevadores".

A entidade recomendou igualmente que entre as 23h00 e as 06h00, eventos públicos sejam proibidos e restaurantes encerrados.

No Instagram, Rospotrebnadzor especificou que a aplicação dessas recomendações será de responsabilidade das autoridades regionais.

Apesar do ressurgimento da epidemia nas últimas semanas, em que as infeções diárias mais do que duplicaram, as autoridades russas descartaram a adoção de medidas drásticas como confinamento, recolher obrigatório ou encerramento do setor económico.

Em Moscovo, a autoridade municipal limitou-se, por enquanto, a ordenar o regime de teletrabalho para pelo menos 30% de funcionários de empresas e organizações.

Também recomendou aos maiores de 65 anos e doentes crónicos que fiquem em casa e saiam de casa apenas em caso de absoluta necessidade.

"O sistema (de saúde) está a funcionar em plena capacidade, por isso é fundamental que todos nós nos unamos para impedir esse processo infeccioso", disse o ministro da Saúde russo, Mikhail Murashko.

O ministro sublinhou que o comportamento responsável dos cidadãos é a chave para conter a epidemia de Covid-19.

"Temos alguns meios para combatê-lo, mas por enquanto não há remédio no mundo que mude radicalmente o equilíbrio de forças", alertou Murashako.

Com um total de 1.547.774 casos, a Rússia é hoje o quarto país do mundo em número de infeções pelo novo coronavírus depois dos Estados Unidos, Índia e Brasil.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de