Vulcão obriga a retirar 350 pessoas e já destruiu várias casas nas Canárias

À TSF, autarca de El Paso garante que os residentes estão muito "assustados e nervosos". Autoridades estimam que seja necessário a retirada de milhares de pessoas.

Sergio Rodríguez Fernández, presidente de El Paso, um dos municípios atingidos pelo vulcão Cumbre Vieja, nas Canárias, relatou à TSF que 350 pessoas já foram retiradas de casa e várias casas já foram destruídas pela lava.

"Está numa zona conhecida como Cabeça da Vaca. O vulcão surgiu mais a Norte daquilo que esperávamos de inicio e já atingiu algumas casas que estavam na trajetoria da lava e foram destruidas", disse.

A população de El Paso está na expectativa de saber o caminho que vai seguir a lava que sai do vulcão. O presidente do municipio diz que as pessoas estão muito nervosas.

"Há nervosismo e incerteza sobre a trajetoria da lava e se pode ou nao afetar a propriedade das pessoas.
De inicio a trajetoria nao afetou o centro do municipio, mas apenas algumas casas particulares. As pessoas estão muito nervosas", frisou.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, deslocou-se esta noite à ilha para dar apoio ao Governo local. De acordo com o El País, as autoridades estimam que seja necessário retirar 10 mil pessoas.

O vulcão que esta tarde nasceu na zona de Cabeça de Vaca, no município de El Paso, na ilha de La Palma, nas Canárias, têm sete bocas ativas que emitem lava, que está a avançar de forma lenta, de acordo com o porta-voz do Instituto Vulcânico das Canárias, David Calvo.

O rei de Espanha, Felipe VI, já telefonou ao presidente do governo regional das Canárias, Ángel Victor Torres, para se inteirar da situação e transmitir "todo o apoio" à população, anunciou Ángel Victor Torres numa mensagem no Twitter.

O vulcão Cumbre Vieja entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região.

O Cumbre Vieja de La Palma é um dos complexos vulcânicos mais ativos das ilhas Canárias, sendo o responsável por duas das três últimas erupções nas ilhas, o vulcão San Juan (1949) e o Teneguía (1971).

O Instituto Geográfico Nacional e o Instituto Vulcanológico das Canárias registaram desde 11 de setembro um importante acumulado de milhares de pequenos sismos na periferia do Cumbre Vieja, com epicentros a mais de 20 quilómetros de profundidade que, progressivamente, foram ascendendo à superfície.

Desde o início da semana a ilha encontrava-se em alerta amarelo devido ao risco de erupção vulcânica na zona (nível 2 de 4).

*com Lusa

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de