Cardeal Joseph Zen e a sua Hong Kong

Hoje é o dia 82 da Guerra levada a cabo pela Rússia na Ucrânia. Há muito a acontecer no mundo e, na verdade, penso que ainda não conseguimos descortinar o alcance, o impacto desta Guerra na política internacional. Há tanto a acontecer e vamos precisar de tempo para poder digerir a rapidez e a profundidade de muitas mudanças.

Mas, tempo é o que falta a muitos lugares neste mundo. Estou a pensar em especial na cidade, na região de Hong Kong. Na verdade, desde que começou a pandemia e agora com a Guerra parece que nos esquecemos do que tem vindo a acontecer em Hong Kong. Uma morte nada lenta e cada vez mais explícita do Estado de Direito que deveria vigorar até 2047.

A última vítima desta repressão foi um senhor de noventa anos: o Cardeal Joseph Zen, católico e Bispo Emérito de Hong Kong. A sua detenção (e posterior libertação sob fiança) de acordo com a Vatican News foi ao abrigo da acusação do costume, ou seja, «conluio com forças estrangeiras».

Podemos interpretar a detenção do Cardeal Joseph Zen como uma demonstração de força por Beijing. Afinal estamos a falar de um crítico do regime, de alguém que há muito que luta pela sociedade civil deste território. Mas será mesmo força o que podemos depreender da detenção de um senhor de 90 anos? Será? Há muito a acontecer na China e, é claro, em ano de Congresso do Partido Comunista, mais ainda. Talvez precisemos de estar mais atentos ao que se passa neste país.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de