Dia 68 da Guerra: não esquecer

Hoje, dia 2 de maio, estamos no dia 68 da Invasão russa da Ucrânia. Estamos no dia 68 e, no entanto, poucos pensariam no início desta Guerra que os ucranianos iriam conseguir resistir até ao dia de hoje.

Têm sido dias, semanas, meses de sacrifício, de resistência, de coragem e de liderança pelo exemplo, desde logo a começar pelo topo, ou seja, pelo presidente Zelensky e pelos restantes membros da elite política ucraniana.

O reconhecimento de tudo isto tem sido feito através de ajuda militar (incluindo formação), financeira e pelas viagens a Kyiv de vários líderes internacionais. A última dessas visitas foi a de Nancy Pelosi, a mulher ao leme da Câmara dos Representantes dos EUA.

Enquanto os ucranianos lutam no terreno e no dia-a-dia pela sua nação, o que podemos nós individualmente fazer? Tenho pensado muito sobre isto.

Há sobretudo, entre muitas outras, uma ajuda que podemos dar. É tão simples e ao mesmo tempo tão difícil: a de não esquecer. A nossa grande ajuda é mesmo a de não esquecer. Parece redutor, parece pouco, mas não é.

Se a guerra durar meses ou mesmo anos a luta pela nossa atenção vai ser cada vez mais dura, mais intensa. E por isso mesmo é tão importante não soçobrar. Basta olharmos para a cidade de Mariupol, ou melhor, para os seus escombros. A nossa ajuda é a de não esquecer.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de