Exposição de fotografia mostra prisões portuguesas

É esta terça-feira inaugurada na Torre do Tombo, em Lisboa, a terceira metamorfose da exposição do Projeto de Fotografia nas Prisões Portuguesas.

Depois da primeira exposição no Porto realizada em 2017, no Centro Português de Fotografia (CPF), e do prémio da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) a Luís Barbosa com o prémio de melhor trabalho fotográfico 2017, e após a sua exibição em Lisboa em 2019, no Museu do Aljube, começa esta terça-feira uma terceira exposição, novamente em Lisboa, com um conceito adaptado ao novo espaço, o Arquivo Nacional Torre do Tombo.

As fotografias foram captadas em 2016 e 2017 e no início de 2020 por um fotógrafo suíço, Peter M. Schulthess, e o português Luís Barbosa.

Luís Barbosa confessa que este projeto foi suspenso pela Pandemia mas espera que recomece noutros estabelecimentos prisionais do país

Em declarações à TSF o fotógrafo português Luís Barbosa, assume que é diferente fotografar em ambiente prisional até por causa da reserva à imagem. "É sitio interdito e que independentemente do que as pessoas fizeram para lá estarem, é um sitio que poem em causa toda a condição humana e a minha emotividade tendeu mais para esse sentido".

O fotógrafo adianta que "a sombra foi quem me deu a linha guia para me deixar guiar nessa falta de luz" que as prisões possuem.

A exposição de Fotografia nas Prisões Portuguesas vai estar na Torre do Tombo, até 5 de Janeiro

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de