Bomba de gasóleo viciada cobrava até 1,65 euros antes do abastecimento

ASAE refere que se trata da quarta ocorrência semelhante que detetou "nos últimos meses".

Uma bomba de gasóleo em Vila Pouca de Aguiar (Vila Real) tinha o contador viciado, imputando ao consumidor um valor até 1,65 euros antes de se iniciar o abastecimento, revelou esta segunda-feira a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Em comunicado, a ASAE refere que se trata da quarta ocorrência semelhante que detetou "nos últimos meses". Numa fiscalização ao posto de abastecimento de carburantes em causa, refere a ASAE, "verificou-se que, no início de cada abastecimento, após o reset do contador e mesmo antes de ser pressionado o manípulo da agulheta da bomba, o contador alterava-se automaticamente, cobrando valores até 1,65 euros, sem que o consumidor tenha feito qualquer abastecimento efetivo".

A ASAE refere ter "procedido à sua selagem e apreensão, de forma cautelar, para a respetiva perícia técnica". A bomba de gasóleo já tinha sido sujeita a controlo metrológico este ano, "exibindo o selo de validade e de conformidade".

Os factos foram comunicados ao Ministério Público por estarem em causa "fortes indícios do crime de especulação (delito antieconómico) e eventual crime de falsificação de notação técnica".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de