Consumo das famílias na zona euro com maior queda no 1.º trimestre em 20 anos

Desde 1999 que os registos não eram tão baixos, diz o Eurostat.

O consumo das famílias por habitante caiu 3% na zona euro no primeiro trimestre devido às medidas de contenção de combate à Covid-19 na Europa, enquanto o rendimento disponível e a poupança aumentaram, divulgou esta terça-feira o Eurostat.

Dados hoje divulgados pelo gabinete de estatísticas comunitário revelam que, "no primeiro trimestre de 2020, quando os Estados-membros começaram a introduzir amplamente medidas de contenção contra a Covid-19 [...], o consumo real 'per capita' das famílias diminuiu 3% na zona euro".

Este é, segundo o Eurostat, o "decréscimo mais elevado desde o início da série temporal em 1999", após uma descida de 0,4% na zona euro no anterior trimestre, o último de 2019.

Já no conjunto da União Europeia (UE), o consumo por habitante baixou 2,9% no primeiro trimestre, após uma diminuição de 0,2% no trimestre anterior, registando-se também aqui a maior queda desde 1999.

No que toca ao rendimento real por habitante das famílias da zona euro, verificou-se um aumento de 1,1% no primeiro trimestre de 2020, após um decréscimo de 1,1% no quarto trimestre de 2019.

Em toda a UE, o rendimento real 'per capita' das famílias aumentou 1,2% no primeiro trimestre de 2020, depois de uma diminuição de 1% no quarto trimestre de 2019.

O Eurostat adianta que, nos primeiros três meses deste ano, "a taxa de poupança dos agregados familiares aumentou significativamente na zona euro e na UE", precisando que, em ambas, houve uma subida de 4,3 pontos percentuais neste indicador em comparação com o quarto trimestre de 2019.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de