Pandemia agrava défice das contas públicas em 6552 milhões de euros

Ministério indica que a execução dos oito primeiros meses do ano "evidencia os efeitos da pandemia da Covid-19".

O défice das contas públicas agravou-se em 6.552 milhões de euros até agosto, totalizando 6.147 milhões de euros, indicou esta sexta-feira o Ministério das Finanças, valor inferior ao registado em julho.

"A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) registou até agosto um défice de 6 147 MEuro [milhões de euros], um agravamento em resultado da pandemia de 6 552 MEuro face ao período homólogo pelo efeito conjunto de contração da receita (-6,6%) e de crescimento da despesa (4,9%)", indica o Ministério das Finanças no comunicado que antecede a divulgação da Síntese de Execução Orçamental pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

De acordo com o ministério tutelado por João Leão, a execução destes primeiros oito meses de 2020 "evidencia os efeitos da pandemia da Covid-19 na economia e nos serviços públicos, refletindo igualmente o impacto da adoção de medidas de política de mitigação".

A execução orçamental até julho indicava um agravamento do défice das em 7.853 milhões de euros, chegando aos 8.332 milhões de euros (ME).

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de