Preços na produção industrial sobem 26% em março dado o custo da energia

"Em março, os preços na produção industrial aumentaram 26,3% em termos homólogos, que compara com a taxa de 20,9% observada em fevereiro", revela o INE.

O Índice de Preços na Produção Industrial registou um crescimento homólogo de 26,3% em março, continuando "fortemente influenciado" pelo aumento dos preços da energia e dos bens intermédios, sem os quais cresceu 7,7%, divulgou esta terça-feira o INE.

"Em março, os preços na produção industrial aumentaram 26,3% em termos homólogos, que compara com a taxa de 20,9% observada em fevereiro", refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o instituto estatístico, "esta evolução foi particularmente influenciada pelo agrupamento de 'energia', com um crescimento de 82,4% (60,9% no mês precedente) e um contributo de 15,4 pontos percentuais, refletindo o forte impacto dos preços da produção de eletricidade e do petróleo e seus derivados".

Excluindo este agrupamento, acrescenta, a variação dos preços na produção industrial foi 13,4% (12,2% em fevereiro).

Já o agrupamento de 'bens intermédios' deu o segundo maior contributo para a variação do índice, de 7,5 pontos percentuais (7,3 pontos percentuais no mês anterior), resultante de uma taxa de variação de 20,3% (19,6% em fevereiro).

O índice da secção das 'indústrias transformadoras' apresentou uma variação homóloga de 19,9% (16,5% no mês precedente), contribuindo com 17,8 pontos percentuais para a variação do índice total, enquanto a secção de 'eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio' contribuiu com 8,3 pontos percentuais, em resultado do aumento de 103,9% (75,8% em fevereiro).

Segundo o INE, excluindo esta secção, a variação dos preços na produção industrial situou-se em 19,6% (16,4% no mês anterior).

Em termos mensais, em março face a fevereiro, a variação mensal do índice de preços na produção industrial foi de 6,2% (1,6% em março de 2021), tendo esta variação sido "determinada pelo agrupamento de 'energia', cujo contributo se situou em 4,8 pontos percentuais, associado a uma taxa de variação de 20,2% (variações de 7,4% e 6,1% em fevereiro de 2022 e em março de 2021, respetivamente)".

"Excluindo este agrupamento, o crescimento dos preços na produção industrial acelerou 0,4 pontos percentuais, para uma variação de 1,8%", nota o INE.

Quanto à secção das 'indústrias transformadoras', registou um aumento mensal de 4,0% (1,1% em março de 2021) e um contributo de 3,5 pontos percentuais.

Considerando o primeiro trimestre de 2022, os preços na produção industrial aumentaram 21,7% (18,4% no trimestre anterior), num "resultado também fortemente determinado pelos agrupamentos de 'energia' e de 'bens intermédios', sem os quais o índice total aumentou 6,3% (4,0% no quarto trimestre).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de