Taxa de inflação na zona euro dispara para 7,5% em março

É na energia que se regista a maior taxa de inflação homóloga (44,7%).

A taxa de inflação homóloga da zona euro disparou para um novo máximo de 7,5% em março, face aos 5,9% de fevereiro, segundo uma estimativa rápida divulgada, esta quinta-feira, pelo Eurostat.

A componente da energia é a que regista a maior taxa de inflação homóloga em março (44,7%, que se compara à de 32% em fevereiro), seguida da alimentação, álcool e tabaco (5%, face a 4,2% do mês anterior), dos bens industriais não energéticos (3,4%, contra 3,1% de fevereiro) e a dos serviços (2,7%, face a 2,5% do mês anterior).

A taxa de inflação homóloga na zona euro era, em março de 2021, de 1,3%.

Segundo a estimativa do serviço estatístico europeu, entre os 19 países da zona euro, a Lituânia é o que apresenta a maior taxa de inflação (15,6%), seguindo-se a Estónia (14,8%) e a Letónia (11,2%).

Malta (4,6%) é o único país da moeda única com uma taxa de inflação abaixo dos 5%.

Para Portugal, o Eurostat aponta uma taxa de inflação homóloga de 5,5%, face aos 4,4% do mês anterior e aos 0,1% de março de 2021.

A taxa de inflação na zona euro e UE tem vindo a acelerar desde junho de 2021, puxada pela subida dos preços dos combustíveis, e a atingir valores recorde desde novembro.

Notícia atualizada às 10h43

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de