"Temos um Governo viciado em impostos e quem paga o vício são os contribuintes"

A deputada da Iniciativa Liberal, Carla Castro, diz que o orçamento demonstra que o Governo tem "falta de visão, e falta de confiança nas empresas e nas pessoas".

Carla Castro, deputada da Iniciativa Liberal, lembrou, durante a intervenção que antecedeu a votação para o Orçamento do Estado de 2022, "os dois anos de pausa" com a pandemia, e com "pessoas cansadas e em desgaste emocional, uma economia cansada da pandemia e atrasada por anos de más escolhas deste Governo".

"O mundo mudou. Mas há algo que se repete: um orçamento em que o Governo demonstra falta de visão, e falta de confiança nas empresas e nas pessoas", atira.

Carla Castro diz que os jovens "têm de emigrar para países liberais" e critica a política de "resiliência" de um Governo "viciado em impostos".

"A resiliência está em nós. A resiliência está em quem tem salários baixos. A resiliência está num jovem que fica em Portugal apesar do apelo de melhores condições para realizar os seus sonhos, num país mais liberal", diz.

Carla Castro diz ainda que "o Governo parece resistir em fazer reformar e gastar o dinheiro dos fundos. Preparar o futuro não é resistir à mudança": "Requer coragem e força de vontade".

A deputada liberal diz que o Orçamento deveria virar "o país para o crescimento e não para as máquinas do Estado", melhorando "as vidas das pessoas".

Carla Castro diz que, mais uma vez, o Governo não aposta nas famílias "e não baixa a quem tem menos para não prejudicar os que ganham mais".

"Com a inflação, vamos pagar mais impostos. Temos um Governo viciado em impostos e quem paga o vício são os contribuintes", acrescenta.

Apesar das cinco propostas aprovadas de alteração ao documento, a deputada assume que "este não é o nosso Orçamento".

"Contribuímos para fazer a diferença. Mas este Orçamento sabe a pouco para o país. Precisávamos de mudança, mas este Governo continua a resistir", diz.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de