Costa escolheu Pedro Marques e uma "missão impossível" para Elisa Ferreira na UE

O primeiro-ministro tem de apresentar o nome de um homem e uma mulher para representar o país na Comissão Europeia. Pedro Marques sempre foi a primeira opção e Costa escolheu para Elisa Ferreira um cargo quase impossível.

António Costa escolheu Pedro Marques e Elisa Ferreira para representantes portugueses na Comissão Europeia, mas o nome da atual vice-governadora do Banco de Portugal é praticamente uma "missão impossível", segundo revela o jornal Público .

Pedro Marques sempre foi a opção do primeiro-ministro e deverá conseguir ser o próximo comissário europeu com o pelouro dos fundos estruturais. Porém, e devido a uma imposição de Ursula von der Leyen, os países tiveram de apresentar o nome de um homem e uma mulher, por uma questão de paridade.

Foi perante este cenário que surgiu a opção de Elisa Ferreira. António costa sugeriu a ex-ministra do Ambiente e do Planeamento para a pasta da Economia e Finanças, o que diminuiu as possibilidades, tendo em conta a posição de Mário Centeno no Eurogrupo.

Fontes contactadas pelo jornal Público falam numa "missão impossível", já que tratar-se-ia de colocar dois portugueses como interlocutores diretos em matérias tão relevantes na União Europeia como a economia e as finanças.

"Seria muito difícil que fosse uma comissária portuguesa a lidar com Mário Centeno", refere a fonte ao Público.

O acordo para a escolha dos representantes de cada país na futura Comissão Europeia será conseguido esta segunda-feira.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de