João Almeida deixa Assembleia da República em mais uma baixa para o CDS

João Almeida explica à TSF que decisão já estava tomada, e ia ser anunciada no congresso do partido.

João Almeida vai deixar o Parlamento, ao fim de 20 anos como deputado. O centrista garante que a decisão já estava tomada, e não tem a ver com as últimas divergências internas do CDS.

Contactado pela TSF, João Almeida explica que a ideia era deixar a Assembleia da República no final da sessão legislativa, em agosto de 2022, mas com a crise política e a eventual dissolução do Parlamento, o final do mandato é antecipado, assim como o da legislatura.

João Almeida garante que ia anunciar a decisão no congresso de 27 e 28 de novembro, mas com o adiamento da reunião dos centristas, decidiu tornar pública a saída através das redes sociais.

No Facebook, com uma imagem do último debate do Orçamento do Estado, João Almeida escreve que "deixa o Parlamento com gratidão por ter servido o país".

"A última. A despedida. No debate do OE"22. A combater a esquerda. Como sempre fiz. Foram 13 dos últimos 20 anos. Deixo o Parlamento com enorme gratidão por ter tido a honra de servir o meu país na sua casa da democracia", lê-se na publicação.

O ainda deputado centrista foi um dos adversários de Francisco Rodrigues dos Santos no último congresso, e perdeu para o atual líder do CDS.

João Almeida é vice-presidente da bancada dos centristas e foi secretário de Estado da Administração Interna no Governo de coligação PSD-CDS, liderado por Pedro Passos Coelho.

Na sexta-feira, os conselheiros do partido votaram a favor do adiamento do congresso do CDS, marcado para 27 e 28 de novembro, para depois das eleições legislativas.

Notícia atualizada às 22h42

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de