Marisa Matias deseja que voto seja "segunda grande lição" aos insultos da extrema-direita

Candidata a Belém pede que se vote com coragem, dignidade e solidariedade.

A candidata presidencial bloquista, Marisa Matias, considerou este sábado que a "primeira grande lição aos insultos da extrema-direita" já foi dada e que a "segunda grande lição" será no dia das eleições, apelando ao voto com coragem, dignidade e solidariedade.

Num comício virtual transmitido desde Viseu, Marisa Matias fez o primeiro apelo explícito ao voto, pedindo "confiança pela igualdade, pelo Serviço Nacional de Saúde, pela gente que sofre e pela gente que luta".

"As mulheres e os homens deram a primeira grande lição destes dias aos insultos da extrema-direita. A segunda grande lição será dada no dia das eleições", enfatizou, sem nunca citar o nome do presidente do Chega, André Ventura, cujos insultos desta semana a propósito do batom vermelho usado por Marisa Matias gerou uma onda de solidariedade com a candidata.

No dia as eleições presidenciais, "olhos nos olhos e de cabeça erguida", porque Portugal "tem orgulho na sua liberdade, tem orgulho na sua democracia e que a igualdade é e será sempre a nossa cor", anfatizou a recandidata apoiada pelo BE .

"Nos últimos dias estive ao lado de gente com coragem, gente de dignidade, gente de solidariedade, gente que levanta, todos os dias, este país. O voto nesta candidatura é o voto por esta gente", apontou, depois de alguns minutos a citar os nomes das pessoas com que se cruzou ao longo de toda esta corrida eleitoral e que representam as lutas nas quais acredita.

Marisa Matias fez então um pedido: "Votem com esta coragem, votem com esta dignidade, votem com esta solidariedade".

"Se este tempo não nos permite dar as mãos, damos as mãos com o nosso voto. Façamos do voto, do nosso voto, o abraço que nos falta nesta pandemia", concluiu.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de