Nem facilitismo nem alarmismo, pede Marcelo Rebelo de Sousa

Questionado sobre a situação que se vive em Lisboa, o Presidente da República pediu que se mantenha equilíbrio entre alarmismo e facilitismo.

O Presidente da República pediu, este sábado, que não se facilite nem se entre em alarmismo com a situação da pandemia de Covid-19 na região de Lisboa, onde tem vindo a registar-se um aumento no número de contágios.

"Não podemos facilitar, mas não podemos cair no alarmismo oposto. Há aqui um equilíbrio que é preciso manter", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas na Ericeira, concelho de Mafra, em Lisboa, onde foi tomar um banho na abertura da época balnear.

O Presidente descreveu que, independentemente do número crescente de contágios, por exemplo na Azambuja, ou com um reforço dos testes na área da construção civil, é preciso não generalizar.

"Não podemos confundir uma ação massiva [de testagem] na área da construção civil em cinco municípios com uma disseminação [da doença] na sociedade", disse, alertando que todos "devem respeitar as regras sanitárias", de distanciamento, na restauração, nas praias, no uso de máscara.

"Deve fazer-se um processo evolutivo", disse o Presidente, que só tirou a máscara quando foi tomar um banho de mar de 20 minutos.

Marcelo Rebelo de Sousa fez, aliás, um elogio à estratégia de testagem de trabalhadores da construção civil: "O que está a ser feito está a ser bem feito, para se saber o que se passa."

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de