Depressão Bárbara. Proteção Civil alerta para inundações e vento forte

As autoridades pedem que se evitem zonas de risco para cheias e inundações e que se faça a manutenção das sarjetas.

Em contagem decrescente para o impacto da depressão Bárbara em Portugal, a Proteção Civil apela a cuidados redobrados nas próximas horas. As autoridades pedem especial atenção às zonas com risco de cheias e inundações.

Em conferência de imprensa, Alexandre Penha, adjunto de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil, explicou que a região Sul é a mais afetada pelo temporal esta segunda-feira.

"Estamos a falar de uma depressão que vai abranger os distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém e Portalegre durante as 12h00 e as 18h00. A precipitação vai alargar-se ao Norte durante a noite", refere.

A chuva intensa vai manter-se durante terça-feira, em especial no Centro do país.

Além da chuva, o vento pode soprar até cem quilómetros por hora. Alexandre Penha pede que se evitem zonas de risco para cheias e inundações e que se faça a manutenção das sarjetas. A proteção civil alerta ainda para os objetos suscetíveis à força do vento, bem como aos lençóis de água na circulação rodoviária.

Atualmente, todo o território nacional está em estado de alerta amarelo devido ao mau tempo, mas as condições meteorológicas vão agravar-se a partir do início da tarde. Lisboa, Santarém, Setúbal, Portalegre, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Porto são oito distritos que vão estar em alerta laranja entre as 0h00 de terça-feira e as 23h59 de quarta-feira.

No sistema de proteção civil, o estado de alerta especial laranja significa que o grau de risco é elevado, sendo expectável uma situação de perigo com condições para a ocorrência de fenómenos invulgares que podem causar danos a pessoas e bens, colocando em causa a sua segurança.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de