Escola de Hotelaria do Algarve ajuda Refood "como se fosse para um restaurante de estrelas"

Mais de 100 refeições confecionadas estão a ser entregues semanalmente ao núcleo de Faro da Refood pela Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.

O Chef Luís Caboz já está ao fogão. Hoje é coelho à caçador. "É um coelho muito simples, um guisado com a base do refogado, é uma coisa muito portuguesa", explica o aluno João Franco.

Durante o mês de julho, a instituição de solidariedade social Refood tem recebido mais de 100 refeições confecionadas, semanalmente pela Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.

A escola parou a atividade durante a pandemia e quando os estudantes voltaram recentemente às aulas práticas, havia muitos produtos em stock e a turma de Gestão e Produção de Cozinha não tinha para onde escoar os seus cozinhados. Na semana passada foi peixe no forno.

Hoje, de olho no coelho que já está a estufar o aluno Rui Palma explica que é gratificante cozinhar para quem precisa. "Tem que haver muito amor nisto, senão quando se vai comer isso reflete-se", diz." Assusta-me pensar que alguém acorda e não sabe o que vai comer nesse dia. Nós aqui quando cozinhamos é como se fosse para um restaurante de estrelas. Essas pessoas são as nossas estrelas", garante.

Só a Refood em Faro duplicou nos últimos meses o número de gente a precisar de ajuda alimentar, atingindo quase as 300 pessoas.

A Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve já colaborou com outras instituições e Paula Vicente, a diretora, considera que não podiam deixar de auxiliar, não desperdiçando comida, sobretudo nesta altura: "É algo que queremos passar aos nossos alunos enquanto cidadãos."

Por isso, os estudantes continuam ao fogão, a cozinhar como se fosse para um restaurante de 5 estrelas.

No regresso do próximo ano letivo a escola de hotelaria promete continuar a dar o apoio a instituições de solidariedade social.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de