Liga dos Bombeiros Portugueses dá 24 horas à Proteção Civil para pagar dívidas

Jaime Marta Soares afirmou que a situação está a gerar "tremendas dificuldades financeiras" às associações de bombeiros.

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) emitiu um comunicado, esta quinta-feira, a exigir à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) que regularize os pagamentos às associações de bombeiros dentro das próximas 24 horas. De acordo com a nota assinada por Jaime Marta Soares, o presidente da LBP, as despesas dizem respeito aos fogos florestais dos meses de agosto e setembro deste ano.

"A situação, além de não cumprir o que está protocolado com os bombeiros no âmbito do dispositivo especial de combate aos incêndios florestais, gera tremendas dificuldades financeiras acrescidas às já depauperadas finanças das suas associações. Tratam-se de despesas já efetuadas e, em muitos casos, também pagas pelas associações de bombeiros que aguardam a reposição das verbas por parte da ANEPC", pode ler-se no comunicado da Liga dos Bombeiros Portugueses.

No final, a instituição dirigida por Jaime Marta Soares acrescenta que a ANEPC "é reincidente" e, até à data, não deu qualquer justificação pelo atraso na regularização das dívidas.

"Total sufoco financeiro"

"A Proteção Civil deve dinheiro aos bombeiros portugueses das verbas extraordinárias dos incêndios florestais. As de agosto foram pagas com muito atraso, as de setembro ainda não estão pagas", revelou à TSF o presidente da LBP, Jaime Marta Soares.

Há também verbas de 2018 retidas e, por isso, os bombeiros atravessam uma "fase completa e difícil", com várias associações "em total sufoco financeiro".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de