Transportes públicos para todos e mais baratos no distrito de Bragança

Medida que reduz preços dos bilhetes em 50% está a ser implementada pela Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes e abrange nove concelhos.

Desde o início deste ano, quem utiliza os transportes públicos assegurados pela Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes só paga metade do preço do bilhete. A medida está em vigor em nove concelhos do distrito de Bragança, onde vivem cerca de 110 mil pessoas, e é uma forma de promover a utilização dos transportes coletivos.

Alfândega da Fé, Bragança, Macedo de Cavaleiros, Mirandela, Miranda do Douro, Mogadouro, Vila Flor, Vimioso e Vinhais são os concelhos onde andar nos transportes públicos ficou mais barato. Estão abrangidos os percursos municipais, intermunicipais e inter-regionais sob a tutela da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes.

O objetivo, diz o secretário desta comunidade, Manuel Miranda, é "mobilizar as pessoas para a utilização do transporte público coletivo, em detrimento do transporte individual", num território do país "muito deprimido em termos populacionais".

Apesar do preço do bilhete ter baixado 50%, há aldeias transmontanas com poucos habitantes onde o autocarro, há muito, não passa por lá por falta de rentabilidade. Manuel Miranda admite que "as frequências não são as adequadas à vida das populações".

Daí que o objetivo da comunidade que representa seja assegurar transporte público para todos, através de "uma nova rede" e com "uma frequência aceitável, que permita às pessoas deslocarem-se à sede de concelho para tratar dos seus assuntos".

Esta nova rede foi colocada em concurso público em 2021, o contrato com o concessionário "já foi assinado" e está, atualmente, a ser analisado pelo Tribunal de Contas. Manuel Miranda conta que "dentro de seis meses já esteja operacional".

No verão, "todas as pessoas dos nove concelhos terão acesso a transporte público de uma forma regular". E quem vive nas aldeias com menos de 40 habitantes, que em condições normais não o teriam, vão passar a ter "transporte a pedido" que é feito de forma programada, nomeadamente "uma vez por semana", para a sede do município.

A medida de redução do preço dos bilhetes custa 300 mil euros: 250 mil financiados pelo Fundo Ambiental e o restante pela Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes. No investimento está também previsto um "apoio à melhoria do acesso ao transporte expresso nos concelhos em que era mais deficitário", através da criação de "novas linhas".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de