TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

O legado familiar da Rita Fangueira

No primeiro trimestre do ano, a lampreia é fator de mobilização dos apreciadores, que não olham aos quilómetros para saborear um pitéu que requer boa matéria-prima e confeção esmerada.

Na margem esquerda do Cávado, a namorar o rio onde o ciclóstomo é pescado, Fão é um dos destinos na rota dos fiéis adeptos da iguaria pela qual muitos não morrem de amores.

Março é mês de Sabores do Mar em Esposende, iniciativa promovida pelo município; todavia, na RITA FANGUEIRA, uma que das casas mais tradicionais onde a lampreia é rainha nesta época do ano, os pratos de peixe são a base da lista.

O restaurante, aberto em 1975, recebeu o nome da primogénita de um casal ligado toda a vida à restauração: José Lopes Lima, minhoto da Póvoa de Lanhoso, abriu o primeiro restaurante de Fão - o Frango Real - em 1966 e Albertina, a esposa, oriunda do Algarve, cozinheira de mão-cheia, oficiava nos fogões.

Hoje, continuam a seguir de perto e com todo o carinho, apesar da idade avançada, o trabalho da segunda geração.

Rita, a filha que recebeu o testemunho e hoje lidera a cozinha, cresceu entre tachos e panelas e confessa que o livro de receitas é ouvir a voz da mãe a trabalhar.

E viu, durante anos, a mãe, hoje à bica dos 90, cozinhar a lampreia sem a provar. O que não impediu de se tornar uma das especialidades da casa.

Em ano de pouco oferta, consequência do fraco caudal dos rios, a lampreia é mais-valia da lista deste restaurante.

O arroz de lampreia que chegou à mesa acolitado por tostas e pão frito, estava irrepreensível: confeção no ponto, de acordo com os cânones. Harmonia bem conseguida com o vinhão da Quinta dos Curvos, um produtor local.

A caminho do meio século, o restaurante não alterou a filosofia e continua a apostar nos pratos de peixe.

O linguado au meunier transporta-nos para os tempos em que a cozinha francesa era chique; mais populares o bacalhau à Rita ou o robalo e a pescada, fritos ou grelhados.

Outras opções são os filetes de pescada recheados com creme de camarão; marmotas ou raia frita e filetes de polvo.

Nos pratos de carne, referência para a costeleta recheada com creme de camarão e para os escalopes de vitela com cogumelos.

O capítulo de bifes apresenta um trio de opções -- de boi à moda da casa; com cebolada ou grelhado.

Para rematar, doçaria de fabrico próprio: uma clarinha de Fão bem recheada de gila ou chila; bolo de massa folhada com doce de ovos ou morgado do Algarve.

Carta de vinhos razoável.

Serviço simpático neste restaurante com boa relação qualidade-preço e com uma cozinha feita com muita paixão, honrando o legado familiar: RITA FANGUEIRA, em Fão.

Onde fica?

Localização. Fão (Esposende)

Contacto: 253 981 442

GPS : 41.51267 N -8.76982 W

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de