Visão de Jogo

Visão de Jogo, a análise à semana futebolística. Porque não chega olhar para o jogo, é preciso ver o jogo. As melhores jogadas, os melhores jogos, as estratégias e os lances polémicos. João Ricardo Pateiro, José Manuel Ribeiro e os seus convidados comentam aquilo que de mais relevante aconteceu na semana.
Às segundas, às 20h10

Da "equipa em construção" à necessidade de perceber o que é o excecional

Carlos Daniel, jornalista da RTP, é o primeiro convidado do Visão de Jogo.

Esta é uma semana de estreias: a do Visão de Jogo e a das equipas portuguesas nas competições europeias. São cinco os conjuntos portugueses que sobem ao palco europeu: Benfica, FC Porto, Sporting, Braga e Vitória SC.

Já o Visão de Jogo estreia-se com dois "lugares cativos" - os de João Ricardo Pateiro, editor de Desporto da TSF e o de José Manuel Ribeiro, diretor do jornal O Jogo - e um que pertence aos convidados: o desta semana de estreia é ocupado por Carlos Daniel, jornalista da RTP (que já passou também pela TSF).

Uma "equipa em construção"

Antes de se voar além-fronteiras olhou-se, no entanto, para o campeonato português. Leonel Pontes estreou-se, este domingo, como treinador leonino com um empate a uma bola no Bessa, frente ao Boavista.

Carlos Daniel identifica este Sporting como uma "equipa em construção", pelo que o resultado não surpreende. "Teve um final de mercado em convulsão, perdeu o ataque nos últimos dias de mercado. Renovou esse ataque com jogadores de ocasião - sem desmerecer o valor deles, mas é o que estava disponível", explicou.

A saída de Keizer também não fica esquecida. "Preparou durante mais de dois meses o ataque à temporada, escolheu - ou pelo menos queremos acreditar que validou - o plantel até oito dias antes do fecho do mercado. No meio disto, sai o grande goleador das últimas épocas, sai um jogador determinante na manobra ofensiva como é o Raphinha e sai mais um jogador, que é o Diaby."

De olhos postos na próxima jornada, Carlos Daniel aponta o Sporting-Famalicão como um jogo importante para perceber "que jogo quer jogar Leonel Pontes".

Para José Manuel Ribeiro, Leonel Pontes está "fragilizado" pela forma como é visto pelos adeptos, algo que lhe tira "margem de manobra". As comparações com Bruno Lage também não ajudam o treinador.

Fica ainda um aviso ao Sporting: é preciso, no Sporting, entender que o excecional não acontece sempre. Tal como Bruno Fernandes pode não repetir os números da última época, Leonel Pontes pode não conseguir nos leões o que Bruno Lage conseguiu no Benfica, comparação que tem sido feita no mundo futebolístico.

Lage tinha condições "objetivas e subjetivas". Já no Sporting, os adeptos estão "desconfiados" e até mesmo "revoltados" com a equipa, com uma direção que trabalha na expectativa de não "irritar ainda mais" os adeptos.

O outsider

Carlos Daniel não tem dúvidas de que Leonel Pontes tem o que é necessário para ter sucesso no Sporting. "Toda a gente que lidou com ele diz que é um homem conhecedor e que justifica esta oportunidade. Falta ele mostrar que pode ser treinador de equipa grande e os jogadores mostrarem que têm capacidade de responder. Não acredito que ao nível de FC Porto e Benfica, o Sporting claramente está atrás."

Assim, o Sporting é um outsider na luta pelo titulo, mas José Manuel Ribeiro alerta que isso "não fecha a porta a nada".

"Nunca se sabe a química que aparece e como é que as coisas podem funcionar", explica.

A liderança do Famalicão, o empate do FC Porto em Portimão, a vitória "q.b." do Benfica frente ao Gil Vicente e os adversários dos portugueses na Europa são outros dos temas abordados nesta edição do programa. Ouça aqui o programa completo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de