Benfica sai vivo da Escócia após anular desvantagem de dois golos

Benfica começou a perder, mas empatou perto do fim. Veja os quatro golos.

O Benfica sofreu mas conseguiu empatar na Escócia a dois golos frente ao Rangers. A equipa de Jorge Jesus entrou mal no encontro, sofrendo o primeiro golo logo aos sete minutos por intermédio de Arfield. Sem criar grandes oportunidades, os encarnados foram para o intervalo a perder pela margem mínima.

Na segunda parte, o jogo do Benfica melhorou, sobretudo, após a entrada de Pizzi e Diogo Gonçalves. Mas o Rangers aumentou a vantagem no encontro através de um remate indefensável de Roofe.

A formação encarnada não desistiu e a crença num resultado positivo deu frutos: Gonçalo Ramos aproveitou o espaço e reduziu a desvantagem. Logo a seguir, Pizzi entendeu às mil maravilhas com Rafa e Seferovic e concluiu com um míssil a jogada. O Benfica conseguiria o empate.

O Benfica entrou em campo na Escócia sem alguns dos habituais titulares: Vlachodimos e Pizzi começaram o jogo no banco. O treinador Jorge Jesus reservou várias surpresas. A presença de ambos os jogadores já revelava alguns nomes. O técnico encarnado deu a titularidade na baliza a Helton Leite, no eixo defensivo apareceu Jardel e Gabriel começou o encontro no meio campo. Darwin Núnez e Taraabt, ambos infetados com Covid-19, eram os grandes ausentes. Para o lugar do médio marroquino, Jesus deu a titularidade a Chiquinho e, no ataque, foi chamado o suíço Seferovic.

O adversário era o Rangers, que há três semanas foi à Luz empatar a três golos. Antes do apito inicial, os intervenientes do encontro respeitaram um minuto de silêncio em memória de Diego Armando Maradona, ícone do futebol mundial que morreu ontem na Argentina.

E foram precisos sete minutos para o placar mexer. O Rangers aproveitou a passividade defensiva e inaugurou o marcador por intermédio de Artfield, que concluiu uma jogada de insistência da equipa de Gerrard.

O Benfica foi à procura do empate, mas estava sem ideias no ataque e esbarrava na organização defensiva do adversário. No banco, Jorge Jesus gritava com os jogadores, na tentativa de corrigirem as respetivas posições. O técnico não estava satisfeito com o que se passava em campo.

Os encarnados melhoraram com a aproximação do intervalo, mas não conseguiam rematar à baliza.

Na segunda parte, Jesus viu a equipa a melhorar e a criar alguns lances de perigo junto à área, mas sem concretizar. O treinador lançou Pizzi e Diogo Gonçalves e o jogo melhorou, faltando apenas mais definição no ataque.

E o Rangers aproveitou. Aos 68 minutos, jogada de contra-ataque pelo lado direito do ataque, Roofe recebe a bola e aplicou-lhe um remate indefensável, aumentando a vantagem dos escoceses no encontro.

Os encarnados não desistiram e instalaram-se no ataque do Rangers. Aos 78 minutos, Jorge Jesus viu o menino Gonçalo Ramos reduzir a desvantagem, após um bom passe para a área de Gabriel.

O Benfica entusiasmou-se com o golo e chegou ao empate. Pizzi apareceu na área com espaço e fuzilou o guardião McGregor.

Onze do Rangers: McGregor; Tavernier, Goldson, Balogun e Barisic; Steven Davis, Arfield e Kamara; Roofe, Morelos e Ryan Kent.

Suplentes do Rangers: McLaughlin, Bassey, Helander, King, Hagi, Barjonas, Dickson, Itten, Barker e Stewart.

Onze do Benfica: Helton Leite; Gilberto, Jardel, Vertonghen e Grimaldo; Rafa, Gabriel, Chiquinho e Everton; Waldschmidt e Seferovic.

Suplentes do Benfica: Svilar, Vlachodimos; Ferro, Diogo Gonçalves, João Ferreira, Pizzi, Paulo Bernardo, Cervi, Tiago Araújo e Gonçalo Ramos.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de