Bernardo Silva desconfia dos macedónios e espera "jogo muito difícil"

O jogador considera que a "responsabilidade de estar presente no Mundial faz com que Portugal tenha sempre pressão, que seria sempre a mesma" caso o adversário fosse a Itália.

O futebolista Bernardo Silva disse este domingo que será uma incerteza a forma como a Macedónia do Norte irá apresentar-se no embate de terça-feira contra Portugal, admitindo que a responsabilidade de estar presente no Mundial2022 confere pressão aos lusos.

"Sinceramente, não sabemos bem o que esperar. Podem jogar com bloco mais baixo ou também a pressionar. Já tivemos oportunidade de ver alguns momentos deles. É uma equipa agressiva nos duelos, não vai dar muito espaço e, com bola, tenta sempre jogar. Não esperamos, de todo, um jogo fácil", observou o jogador dos ingleses do Manchester City, de 27 anos, em conferência de imprensa, fazendo a antevisão da final do caminho C dos 'play-offs' europeus de acesso ao Mundial de 2022.

O extremo luso, que na equipa de Fernando Santos joga muitas vezes na posição de médio, considera que a "responsabilidade de estar presente no Mundial faz com que Portugal tenha sempre pressão, que seria sempre a mesma" caso o adversário de terça-feira fosse a Itália.

"Sabemos o que está em jogo, mas temos de encarar as coisas de forma normal. Estamos habituados à pressão nos nossos clubes. É irmos para jogo a remar todos para o mesmo lado. Certamente, as coisas vão correr bem", perspetivou.

Tal como o médio João Moutinho referiu no sábado, também em conferência de imprensa, Bernardo reconhece que é possível que os macedónios se "fechem lá atrás na [defesa], pelo que será difícil prever se Portugal conseguirá ter um grande caudal ofensivo e "criar ocasiões para marcar".

"Sabemos que a Macedónia [do Norte], se chegou até aqui, é porque merece. Tendo tido a capacidade de bater Alemanha e Itália, mostra que é uma equipa forte defensivamente, coesa. São 90 minutos, só um jogo e tudo pode acontecer. Tenho a certeza que vai ser um jogo muito difícil", argumentou.

Por fim, falou das funções que tem desempenhado no meio-campo da seleção, lembrando que são idênticas às que têm no Manchester City, de Pep Guardiola.

"É uma posição que conheço bem, tenho jogado nos últimos jogos no City, principalmente esta temporada. Estou disponível para jogar onde o 'mister' Fernando Santos quiser. Sinto-me muito bem, gosto muito de jogar ali", frisou.

A seleção lusa está na final do caminho C após o 3-1 no Dragão face à Turquia, com golos de Otávio, Diogo Jota e Matheus Nunes, na quinta-feira, dia em que a Macedónia do Norte venceu em Itália por 1-0, com um golo de Trajkovski (90+2), deixando os transalpinos fora do Mundial pela segunda vez seguida.

Portugal procura a oitava presença em Mundiais, e sexta consecutiva, depois de 1966, 1986, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018, enquanto os macedónios nunca participaram numa fase final de um Campeonato do Mundo.

O encontro entre Portugal e a Macedónia do Norte, da final do caminho C dos 'play-offs' europeus de acesso ao Mundial2022, realiza-se na terça-feira, no Estádio do Dragão, no Porto, a partir das 19:45, com arbitragem do inglês Anthony Taylor.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de