Benfica bate Marítimo e regressa às vitórias no campeonato

Rodrigo Pinho marcou após erro de Otamendi. Pizzi empatou e Everton, homem do jogo para a TSF, colocou o Benfica na frente. Veja os golos.

O Benfica regressou esta segunda-feira às vitórias no campeonato após bater o Marítimo por 2-1 na Madeira. Os madeirenses marcaram primeiro, por Rodrigo Pinho, que aproveitou um erro de Otamendi, mas Pizzi e Everton construíram a reviravolta encarnada.

Jorge Jesus promoveu o regresso de Pizzi ao miolo encarnado nesta partida, onde faz dupla com Gabriel. Bastou um minuto para que os encarnados - esta noite a jogar de negro - criassem perigo. Ataque rápido pela direita e Waldschmidt, ao primeiro poste, acabou por tropeçar sem conseguir dar o melhor seguimento à jogada. Os madeirenses responderam aos seis minutos por Rodrigo Pinho.

Aos sete minutos, nova oportunidade encarnada: Waldschmidt bate um canto para a entrada da grande área e Pizzi remata de primeira. Joel impediu o golo e, após ressalto, pediu-se penálti do guarda-redes Charles sobre Everton.

Mais alguns minutos, mais perigo. Everton flete da esquerda para o centro e remata de forma potente: a bola resvalou na trave e saiu por cima da baliza. Mas, de que serve ameaçar se se erra na defesa?

Sozinho sobre a esquerda, Otamendi tenta atrasar a bola para Vlachodimos mas falha o passe. Rodrigo Pinho percebeu o que ia acontecer e acelerou em direção à bola. Em frente a Vlachodimos, picou-a e fez o primeiro.

O azar bateu-lhe à porta quando saltou, também com Otamendi, e saiu muito queixoso do lance. Abandonou o relvado de maca, foi assistido e reentrou com o olho direito em mau estado.

O empate encarnado chegou em cima dos 30 minutos. Everton trabalhou sobre a esquerda e soltou Grimaldo na profundidade, com Pizzi a receber no coração da grande área de pé direito. Depois, usou o pé esquerdo para rematar para o fundo da baliza.

A jogar em 5-4-1, o Marítimo de Lito Vidigal procurava Pinho como referência e Macedo como seta enquanto jogava em contra-ataque. Otamendi surgia algo perdido na defesa encarnada, Pinho continuava a ser uma ameaça.

Aos 41', Joel surge em velocidade pela esquerda e tira o cruzamento para o segundo poste, onde surge o ponta de lança a cabecear já em esforço e por cima. Dois minutos depois, Rafa surge sobre a marca de penálti, roda e, quando se preparava para o 2-1, René Santos tira-lhe o "pão da boca". Momentos depois subia a placa: sete minutos de tempo adicional até ao intervalo.

Depois, a segunda parte começou bem para o Benfica. Seferovic trabalha à entrada da grande área e descobre Everton descaído para a esquerda. O brasileiro tira um adversário do caminho e atira em jeito para o poste mais distante, fazendo o 2-1.

O golo fez bem à equipa de Jorge Jesus, que pareceu finalmente encontrar uma forma confortável de conduzir o jogo, embora optasse mais por não se expor do que por assumir as rédeas. Na entrada para a reta final, Jorge Jesus quis ter a certeza de que não teria surpresas e lançou Diogo Gonçalves e Samaris para os lugares de Gilberto, que não fez um jogo particularmente feliz, e de Seferovic. Lá na frente ficava Gonçalo Ramos, que entrou para o lugar de Waldschmidt.

Até ao fim ainda houve Jardel em campo e porta fechada a qualquer surpresa da equipa de Lito Vidigal.

Onze do Marítimo: Charles, Cláudio Winck, Lucas Áfrico, Leo Andrade, Marcelo Hermes, René Santos, Pelágio, Jean Irmer, Macedo, Joel Tagueu e Rodrigo Pinho

Onze do Benfica: Vlachodimos, Gilberto, Otamendi, Vertonghen, Grimaldo, Gabriel, Pizzi, Rafa, Everton, Waldschmidt e Seferovic

Suplentes do Marítimo: Amir; China, Guitane, Correa, Jean Cleber, Bambock, Milson, Alipour, Gonçalo Duarte.

Suplentes do Benfica: Helton, João Ferreira, Jardel, Diogo Gonçalves, Samaris, Cervi, Chiquinho, Ferreyra e Gonçalo Ramos.

O jogo foi arbitrado por Manuel Mota, auxiliado por Luciano Maia e Nuno Manso. No VAR esteve Vasco Santos.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de