A vacina que o laboratório da Luz não consegue criar. Benfica e Nacional empatam

Veja os golos de Chiquinho e Rochez. Encarnados estão a enfrentar uma vaga de Covid-19, Nacional rejeitou adiar este jogo.

Benfica e Nacional empataram, esta segunda-feira, a uma bola no Estádio da Luz num jogo com muito pouco para contar. Chiquinho, na primeira parte, e Rochez, na segunda, construíram o resultado final de um jogo a que as águias chegaram muito desfalcadas devido à Covid-19. E parece não haver uma vacina à vista.

Os encarnados somam agora 33 pontos, apenas mais um do que o FC Porto, que entra em campo esta noite. Já os madeirenses somam 14 pontos.

Sem Vlachodimos nem Helton Leite - ambos infetados pelo coronavírus - Jesus viu-se obrigado a apostar em Svilar para defender a baliza, colocando à sua frente uma defesa também ela remendada e que contava com um estreante na liga: João Ferreira.

Bastaram sete minutos para os encarnados marcarem, ainda que não tenha valido. João Ferreira surgiu no corredor direito após combinação com Rafa e cruzou para a entrada da área, onde surgiu Chiquinho a rematar de primeira.

O lance acabou por ser anulado por fora de jogo, após análise do VAR: João Ferreira estava 19 centímetros adiantado.

Mas Chiquinho queria mesmo marcar. Mais sete minutos - já íamos nos 14' - e o médio português surge ao segundo poste a cabecear para golo após cruzamento de Pizzi a partir do lado direito.

Pouco mais se podia contar sobre este jogo. João Ferreira exibia-se a bom nível para a idade e relativa pouca experiência e o Nacional pouco conseguia fazer, até porque sentia a ausência do colombiano Riascos.

A segunda parte começou, no entanto, com uma história diferente. O Nacional ganha um pontapé de canto e Gorré cruza para o segundo poste, onde surge Rochez a cabecear cruzado e para o fundo da baliza.

Mas à semelhança da primeira parte, pouco mais se passava depois do golo. Jesus lançou Gonçalo Ramos, Pedrinho e Taarabt para tentar agitar as águas, mas Luís Freire apostou também em Camacho e Rúben Micael para, através da experiência, ajudarem a acalmar a equipa.

A melhor oportunidade encarnada da segunda parte chegou aos 82', quando Taarabt colocou a bola nos pés de Seferovic a um metro da linha de golo, mas o suíço atrapalhou-se a rodar sobre si e foi de imediato rodeado por quatro adversários. Todos acabaram no chão e a bola fugiu na direção contrária à da baliza. Estava resumido o jogo.

Onze do Benfica: Svilar, João Ferreira, Jardel, Ferro, Cervi, Weigl, Pizzi, Chiquinho, Rafa, Seferovic e Darwin

Onze do Nacional: Daniel Guimarães, Kalindi, Pedrão, Rui Correia, Witi, Nuno Borges, Francisco Ramos, Koziello, Thill, Gorré e Rochez

As águias estão no terceiro lugar do campeonato, com 32 pontos. Os madeirenses ocupam o 15.º lugar, com 13.

Suplentes do Benfica: Fábio Duarte, Todibo, Samaris, Gabriel, Taarabt, Pedrinho, Tiago Araújo, Ferreyra e Gonçalo Ramos.

Suplentes do Nacional: Riccardo, Lucas Kal, Alhassan, Rúben Freitas, João Vigário, Danilovic, Rúben Micael, Camacho e João Victor.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de