Análise ao Note 10+: o melhor Samsung de sempre

Com o Galaxy Note 10+, a Samsung joga ao ataque e procura aproveitar o momento em que a Huawei está no chão. Quem ganha somos nós, já que este smartphone é mesmo bom.

Foi lançado já no final de agosto e são muitos os pontos em que o novo Samsung Galaxy Note 10+ se destaca.

O novo topo de gama da fabricante sul-coreana é um equipamento de proporções generosas (há quem lhe chame um phablet, uma mistura entre phone e tablet) já que tem um ecrã de 6,8", mas nem é isso que mais o separa de quase todas as outras propostas presentes no mercado. De facto, a grande diferença é a presença da S Pen. Mas já lá vamos.

Comece por espreitar o vídeo.

Este "+" é o modelo maior da nova geração da família Galaxy Note. Desta vez, os membros desta família dividem-se em dois tamanhos: o menos grande é de 6,3 polegadas e este que está em análise é de 6,8".

Tanto um como outro são AMOLED. Trata-se de uma tela muito brilhante e com um contraste soberbo. A Samsung está claramente de parabéns pelo trabalho que desenvolveu neste campo. O ecrã é de um tipo qiue a fabricante coreana apelida de Infinity-O, ou seja, tem apenas um furinho para a lente das selfies e praticamente mais nada. As bordas em cima e em baixo são mínimas, dos lados também e como o ecrã é curvo, isso nota-se ainda mais.

Feitas as contas, 90% do plano frontal é composto por ecrã.

Quanto ao desempenho:

É tremendo. Na versão europeia, o Note 10+ vem com um Exynos, um processador desenvolvido pela Samsung e a verdade é que sem serem diferenças muito grandes, ele consegue ser mais rápido que o Kirin 980 que está no Huawei P30 Pro. E isso diz quase tudo.

Nas fotos, e em relação à geração anterior está melhor em tudo, mas mesmo assim, ainda não é com o Note 10+ que a Samsung pode dizer que é a rainha das fotografias. A culpa (ainda) é do Huawei P30 Pro.

Assim, neste Note 10+ o que há é uma lente principal de 12MP, com estabilização óptica de imagem. Um outro sensor também de 12MP para o zoom e por fim há ainda a ultra grande angular de 16MP.

Tem ainda dois sensores que pretendem ajudar a obter algum tipo de profundidade na captura das imagens para desfocar o fundo e também aplicar uns efeitos. E porque o processamento dessas imagens é feito em tempo real, é aí que as coisas ficam interessantes. Está tudo no vídeo ali em cima.

Vamos à S Pen

Convém sublinhar que para esta geração de S Pen, a Samsung inventou uma série de gestos que não fazem grande sentido, por isso... adiante. Olhamos apenas para o que ela traz de bom. E há muito por onde escolher.

Pela primeira vez dá um gozo tremendo trabalhar com a S Pen. O sistema funciona agora tão bem que até é possível converter as notas que se deixam no ecrã em texto. Texto a sério. Daquele do Word. Assim, passa a ser possível fzer buscas por aquilo que se foi escreverndo ao longo dos meses. Ou seja, sobre o conteúdo de cada uma dessas notas. É bom demais.

Claro que nem sempre interpreta bem os nossos gatafunhos, mas quando funciona merece muitos emojis em forma de coração.

Para quem gosta de desenhar, a S Pen tem uma app que vai ser um enorme entretém, mas outro destaque que pode ser feito está relacionado com a aplicação do calendário, onde é possível sublinhar, ou fazer qualquer tipo de desenho à volta de uma data. Também está no vídeo.

Ainda outros detalhes importantes e que merecem palmas:

Vem com 12GB de RAM (leu bem!!!) e inclui 256GB de armazenamento. É muito, mas que achar que não chega, pode sempre adicionar um cartão microSD. Perde é a hipótese de usar dois SIM.

Mais: tem uma bateria de 4300 mAh com tecnologia de carregamento superrápido de 45W.

E é sob esse prisma que começam os destaques negativos:

Sim, carrega muito rápido, mas o carregador que vem com este smartphone não é de 45W. Quem o quiser vai ter que o comprar à parte. Passe pela caixa da Samsung.

Outro queixume: é pesadote. Mas não há milagres. É muita tecnologia enfiada ali dentro.

E por fim, só uma implicação. Não tem entrada para os headphones tradicionais. É tão grande que podia, e devia ter, mas não. A Samsung acabou com isso.

Mas francamente...

Apesar de ter uma ou outra falha, a verdade é que os pontos a favor do Galaxy Note 10+ são MUITOS mais do que os contra. Neste equipamento a Samsung conseguiu até resolver o problema do botão Bixby. Esse botão até continua a existir, mas agora é lá que se liiga o equipamento e é muito fácil configura-lo para outra coisa qualquer.

Repetindo: a performance é bestial e o ecrã é provavelmente o melhor que está no mercado.

De facto, não só este é o melhor Samsung de sempre, como talvez até seja o melhor smartphone que está no mercado atualmente. Por quanto tempo? Isso, só a Apple e a Huawei o saberão dizer.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de