É uma "Super Terra", mas não é habitável. Investigadores querem estudar atmosfera do Gliese 486b

O planeta reúne os requisitos que permitem testar os modelos atmosféricos e estudar a composição da atmosfera dos planetas depois do Sistema Solar.

Um exoplaneta recentemente descoberto reúne as condições ideais para estudar a atmosfera e composição interna dos planetas rochosos fora do Sistema Solar, dá conta uma investigação publicada esta sexta-feira na revista Science.

Gliese 468b é o nome desta "Super Terra" que orbita uma estrela a 26 anos de luz do sol. Por causa da temperatura - 430 graus centígrados - não é habitável e a superfície, provavelmente, será semelhante à de Vénus, com uma paisagem quente e seca, com inúmeros 'rios' de lava.

Contudo, o planeta reúne os requisitos que permitem testar os modelos atmosféricos e estudar a composição da atmosfera dos planetas depois do Sistema Solar.

Os cálculos até agora feitos com os modelos existentes sugerem que o planeta possui uma atmosfera, ainda que mais ténue que do que a terrestre.

O Gliese 486b é um exoplaneta único para a investigação por vários motivos além da atmosfera.

É um dos exoplanetas que está mais perto da Terra, tem uma dimensão parecida - um raio cerca de 30% maior - e, por isso, é um planeta "que tem tudo", disse à agência espanhola Efe José António Caballero, investigador do Centro de Astrobiologia (CSIC-INTA).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de